LIVROS

Manual de Dermatologia na Atenção Básica

Leia o Livro Completo
Índice
1.3
Índice
1

LESÕES ELEMENTARES

1.1

DEFINIÇÃO DE LESÕES ELEMENTARES

1.2

CLASSIFICAÇÃO DE LESÕES ELEMENTARES

1.3

MODIFICAÇÃO DA COR DAS LESÕES ELEMENTARES

2

INFECÇÕES BACTERIANAS DE PELE

2.1

DEFINIÇÃO E FISIOPATOLOGIA DAS INFECÇÕES BACTERIANAS DE PELE

2.2

MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS DAS INFECÇÕES BACTERIANAS DE PELE

2.3

DIAGNÓSTICO DAS INFECÇÕES BACTERIANAS DE PELE

2.4

DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL DAS INFECÇÕES BACTERIANAS DE PELE

2.5

TRATAMENTO DAS INFECÇÕES BACTERIANAS DE PELE

2.6

CONSIDERAÇÕES IMPORTANTES DAS INFECÇÕES BACTERIANAS DE PELE

3

MICOSES SUPERFICIAIS

3.1

DEFINIÇÃO E FISIOPATOLOGIA DAS MUCOSAS SUPERFICIAIS

3.2

MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS DAS MUCOSAS SUPERFICIAIS

3.3

DIAGNÓSTICO DAS MUCOSAS SUPERFICIAIS

3.4

DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL DAS MUCOSAS SUPERFICIAIS

3.5

TRATAMENTO DAS MUCOSAS SUPERFICIAIS

3.6

CONSIDERAÇÕES IMPORTANTES DAS MUCOSAS SUPERFICIAIS

4

DERMATOSES PRÉ-CANCEROSAS E NEOPLASIAS CUTÂNEAS IN SITU

4.1

DERMATOSES PRÉ-CANCEROSAS E NEOPLASIAS CUTÂNEAS IN SITU

4.2

CERATOSE ACTÍNICA DAS DERMATOSES PRÉ-CANCEROSAS E NEOPLASIAS CUTÂNEAS IN SITU

4.3

DAS DERMATOSES PRÉ-CANCEROSAS E NEOPLASIAS CUTÂNEAS IN SITU

4.4

LEUCOPLASIAS DAS DERMATOSES PRÉ-CANCEROSAS E NEOPLASIAS CUTÂNEAS IN SITU

4.5

LEUCOPLASIAS

4.6

DOENÇA DE BOWEN

4.7

ERITROPLASIA DE QUEYRAT

4.8

PAPULOSE BOWENÓIDE

4.9

DOENÇA DE PAGET

5

CÂNCER DE PELE

5.1

DEFINIÇÃO E FISIOPATOLOGIA

5.2

MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS DO CÂNCER DE PELE

5.3

DIAGNÓSTICO DO CÂNCER DE PELE

5.4

DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL DO CÂNCER DE PELE

5.5

TRATAMENTO DO CÂNCER DE PELE

5.6

CONSIDERAÇÕES IMPORTANTES DO CÂNCER DE PELE

6

ECZEMAS

6.1

DEFINIÇÃO E FISIOPATOLOGIA DAS ECZEMAS

6.2

MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS DAS ECZEMAS

6.3

DIAGNÓSTICO DAS ECZEMAS

6.4

DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL DAS ECZEMAS

6.5

TRATAMENTO DAS ECZEMAS

7

HERPES SIMPLES

7.1

DEFINIÇÃO E FISIOPATOLOGIA DA HERPES SIMPLES

7.2

MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS DA HERPES SIMPLES

7.3

DIAGNÓSTICO DA HERPES SIMPLES

7.4

DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL DA HERPES SIMPLES

7.5

TRATAMENTO DA HERPES SIMPLES

7.6

CONSIDERAÇÕES IMPORTANTES DA HERPES SIMPLES

8

HERPES ZOSTER E VARICELA

8.1

DEFINIÇÃO E FISIOPATOLOGIA DA HERPES ZOSTER E VARICELA

8.2

MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS DA HERPES ZOSTER E VARICELA

8.3

DIAGNÓSTICO DA HERPES ZOSTER E VARICELA

8.4

DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL DA HERPES ZOSTER E VARICELA

8.5

TRATAMENTO DA HERPES ZOSTER E VARICELA

8.6

CONSIDERAÇÕES IMPORTANTES DA HERPES ZOSTER E VARICELA

9

PSORÍASE

9.1

DEFINIÇÃO E FISIOPATOLOGIA DA PSORÍASE

9.2

MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS DA PSORÍASE

9.3

FORMAS ATÍPICAS DA PSORÍASE

9.4

DIAGNÓSTICO DA PSORÍASE

9.5

TRATAMENTO DA PSORÍASE

9.6

MEDICAÇÕES TÓPICAS DA PSORÍASE

9.7

MEDICAÇÕES SISTÊMICAS DA PSORÍASE

10

DERMATOZOOSES

10.1

DEFINIÇÃO E FISIOPATOLOGIA DAS DERMATOZOOSES

10.2

MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS DAS DERMATOZOOSES

10.3

DIAGNÓSTICO DAS DERMATOZOOSES

10.4

DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL DAS DERMATOZOOSES

10.5

TRATAMENTO DAS DERMATOZOOSES

10.6

CONSIDERAÇÕES IMPORTANTES DAS DERMATOZOOSES

11

FARMACODERMIAS

11.1

DEFINIÇÃO E FISIOPATOLOGIA DAS FARMACODERMIAS

11.2

MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS DAS FARMACODERMIAS

11.3

DIAGNÓSTICO DAS FARMACODERMIAS

11.4

TRATAMENTO DAS FARMACODERMIAS

12

ACNE

12.1

DEFINIÇÃO E FISIOPATOLOGIA DA ACNE

12.2

MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS DA ACNE

12.3

DIAGNÓSTICO DA ACNE

12.4

DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL DA ACNE

12.5

TRATAMENTO DA ACNE

12.6

CONSIDERAÇÕES IMPORTANTES DA ACNE

13

ROSÁCEA

13.1

DEFINIÇÃO DE ROSÁCEA

13.2

FISIOPATOLOGIA DE ROSÁCEA

13.3

MANIFESTAÇÕES CL DE ROSÁCEAÍNICAS

13.4

DIAGNÓSTICO DE ROSÁCEA

13.5

DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL DE ROSÁCEA

13.6

TRATAMENTO DE ROSÁCEA

14

MOLUSCO CONTAGIOSO

14.1

DEFINIÇÃO E FISIOPATOLOGIA DE MOLUSCO CONTAGIOSO

14.2

MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS DE MOLUSCO CONTAGIOSO

14.3

DIAGNÓSTICO DE MOLUSCO CONTAGIOSO

14.4

DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL DE MOLUSCO CONTAGIOSO

14.5

TRATAMENTO DE MOLUSCO CONTAGIOSO

14.6

CONSIDERAÇÕES IMPORTANTES DE MOLUSCO CONTAGIOSO

15

ALOPÉCIAS

15.1

DEFINIÇÃO E FISIOPATOLOGIA DAS ALOPÉCIAS

15.2

MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS DAS ALOPÉCIAS

15.3

DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL DAS ALOPÉCIAS

15.4

TRATAMENTO DAS ALOPÉCIAS

16

HANSENÍASE

16.1

DEFINIÇÃO E FISIOPATOLOGIA DA HANSENÍASE

16.2

MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS DA HANSENÍASE

16.3

DIAGNÓSTICO DA HANSENÍASE

16.4

DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL DA HANSENÍASE

16.5

TRATAMENTO DA HANSENÍASE

16.6

REAÇÕES HANSÊNICAS DA HANSENÍASE

17

TERAPÊUTICA TÓPICA EM DERMATOLOGIA

17.1

PRINCIPIO DE TRATAMENTO TERAPÊUTICA TÓPICA EM DERMATOLOGIA

17.2

VEÍCULOSTERAPÊUTICA TÓPICA EM DERMATOLOGIA

17.3

PRINCIPIOS ATIVOS TERAPÊUTICA TÓPICA EM DERMATOLOGIA

17.4

QUANTIDADE TERAPÊUTICA TÓPICA EM DERMATOLOGIA

17.5

PRINCIPIOS GERAIS DE CUIDADO TERAPÊUTICA TÓPICA EM DERMATOLOGIA

MODIFICAÇÃO DA COR DAS LESÕES ELEMENTARES

Manchas ou máculas: alteração somente da cor da pele sem mudanças relacionadas à depressão, relevo ou textura.

MÁCULAS PIGMENTARES DAS LESOES ELEMENTARES

Leucodermia: Diminuição (hipocromia) ou ausência de melanina (acromia). Hipercromia: Aumento da pigmentação por melanina (melanodermia) ou outros pigmentos (como bilirrubina, hemossiderina, caroteno,etc)

ELEVAÇÕES EDEMATOSAS DAS LESOES ELEMENTARES

Urtica: Elevação efêmera, irregular na forma e extensão, de cor variável do branco-róseo ao vermelho, geralmente com certa palidez central, e pruriginosa. O tamanho pode variar de milímetros a vários centímetro. Edema angioneurótico: Área de edema circunscrito pode ocorrer no subcutâneo, causando tumefação ou fazendo saliência em superfície. Denomina-se, também, edema de Quincke.

FORMAÇÕES SOLIDAS DAS LESOES ELEMENTARES

Pápula: Textura dura, menor que 1 cm, elevada, circunscrita. Pode ser epidérmica, dérmica ou mista. Nódulo; Tumor; Cisto; Vegetação; Placa.

LESÕES DE CONTEUDO LÍQUIDO DAS LESOES ELEMENTARES

Vesícula: Até 1 cm e com conteúdo claro, seroso ou hemorrágico. Bolha: Maior que 1 cm e com conteúdo claro, seroso ou hemorrágico

ALTERAÇÃO DE ESPESSURAS DAS LESOES ELEMENTARES

ceratose;Espessamento da pele com o aumento da camada córnea, característica firme e amarelada; Liquenificação: Aumento da espessura da pele com acentuação dos sulcos (dermatóglifos); Edema: Espessamento da pele devido ao extravasamento de plasma sanguíneo na derme e/ou hipoderme; infiltração; esclerose; atrofia

SOLUÇÃO DE CONTINUIDADE E PERDAS TECIDUAIS DAS LESOES ELEMENTARES

Erosão ou exulceração: Perda superfcial da pele (somente epiderme); Escoriação: Erosão por trauma, geralmente por coçadura;

SEQUELAS DAS LESOES ELEMENTARES - CICATRIZ

Lesão resultante de processo de reparação com fbrose e discromia (sem pelos, poros ou sulcos), pode ter diferentes aspectos.

SEQUELAS DAS LESOES ELEMENTARES - QUELOIDE

Lesão vai além do limite do trauma.

OUTRAS LESÕES

Afta (úlcera na mucosa), alopecia (ausência de pelos em região que deveria estar pilosa), calo (ceratose em excesso e em cunha), calosidade (ceratose excessiva e circunscrita em local de pequenos traumas), celulite (inflamação da derme e/ou hipoderme), comedo (cravo branco - deposição de corneócitos no infundíbulo folicular - ou cravo preto

Compartilhe com seus amigos:
Compartilhe com seus amigos:
Termos de Uso | Política de Privacidade. © Copyright, Todos os direitos reservados.