Livros

Manual de Urgências e Emergências em Pediatria

Leia o Livro Completo
Índice
1.10
Índice
1.

ABORDAGEM INICIAL DO PACIENTE GRAVE

1.1

AVALIANDO O “A B C” NA CRIANÇA

1.2

OBSTRUÇÃO DE VIAS AÉREAS SUPERIORES POR CORPO ESTRANHO

1.3

INSUFICIÊNCIA RESPIRATÓRIA AGUDA E HIPÓXIA

1.4

OXIGENOTERAPIA

1.5

INTUBAÇÃO OROTRAQUEAL

1.6

PARADA CARDIORRESPIRATÓRIA

1.7

CHOQUE

1.8

SEPSE

1.9

INTOXICAÇÃO EXÓGENA

1.10

AFOGAMENTOS

1.11

ANAFILAXIA E REAÇÕES ALÉRGICAS

1.12

MANEJO DA DOR

1.13

QUEIMADURAS

2.

EMERGÊNCIAS CARDIOPULMONARES

2.1

ASMA

2.2

LARINGITE

2.3

PNEUMONIAS

2.4

MIOCARDITE

2.5

ARRITMIAS

2.6

HIPERTENSÃO ARTERIAL

2.7

INSUFICIÊNCIA CARDÍACA

3.

EMERGÊNCIAS INFECCIOSAS

3.1

A CRIANÇA COM FEBRE SEM FOCO

3.2

MENINGITE BACTERIANA

3.3

ENDOCARDITE INFECCIOSA

3.4

INFECÇÃO DO TRATO URINÁRIO

3.5

CELULITES

3.6

PIODERMITES

4.

EMERGÊNCIAS NEUROLÓGICAS

4.1

CRISE CONVULSIVA

4.2

TRAUMATISMO CRANIOENCEFÁLICO

5.

EMERGÊNCIAS RELACIONADAS AO TRATO GASTROINTESTINAL

5.1

DIARREIA AGUDA E DESIDRATAÇÃO

5.2

DOR ABDOMINAL

6.

EMERGÊNCIAS ENDÓCRINAS E METABÓLICAS

6.1

SUPORTE HIDROELETROLÍTICO

6.2

CETOACIDOSE DIABÉTICA

6.3

LESÃO RENAL AGUDA

7.

EMERGÊNCIAS REUMATOLÓGICAS

7.1

FEBRE REUMÁTICA

7.2

ARTRALGIAS

8.

TEMAS ESPECIAIS

8.1

MAUS TRATOS

8.2

VIOLÊNCIA SEXUAL

INTRODUÇÃO A AFOGAMENTOS

SEGUndo a Organização Mundial da Saúde (OMS), afogamento é o processo de sofrer comprometimento respiratório devido à submersão/imersão em líquido. Quando a pessoa é resgatada em qualquer momento e o processo de afogamento é interrompido, esta situação é chamada de afogamento não fatal. Quando a pessoa morre a qualquer momento em decorrência do afogamento, a situação é chamada de afogamento fata

QUANDO SUSPEITAR DE AFOGAMENTOS

O paciente pode apresentar-se com história de submersão/imersão em líquido (revelada por ele ou por terceiros, quando o mesmo está inconsciente), com tosse, difi culdade respiratória ou parada cardiorrespiratória]

CONDUTA EM AFOGAMENTOS

Checar o nível de consciência, respiração (espontânea, tosse, espirros, choro, apneia) ausculta pulmonar, pulso, pressão arterial, frequência cardíaca (parada cardiorrespiratória) e cianose. Se a vítima está inconsciente, e, com pulsos não palpáveis, iniciam-se as manobras de RCP3;

TRATAMENTO DE AFOGAMENTOS

MEdidas iniciais: a mais importante das medidas a serem tomadas para o tratamento de afogados em parada cardiorrespiratória – e a primeira dentre elas – é a ventilação. Fornecer ventilações de resgate aumenta as chances de sobrevida da vítima. Nos casos de parada cardiorrespiratória, as manobras do BLS devem ser iniciadas já no atendimento pré-hospitalar, assim como medidas de aquecimento

Compartilhe com seus amigos:
Compartilhe com seus amigos:
Política de Privacidade. © Copyright, Todos os direitos reservados.