Livros

Manual de Urgências e Emergências em Pediatria

Leia o Livro Completo
Índice
1.9
Índice
1.

ABORDAGEM INICIAL DO PACIENTE GRAVE

1.1

AVALIANDO O “A B C” NA CRIANÇA

1.2

OBSTRUÇÃO DE VIAS AÉREAS SUPERIORES POR CORPO ESTRANHO

1.3

INSUFICIÊNCIA RESPIRATÓRIA AGUDA E HIPÓXIA

1.4

OXIGENOTERAPIA

1.5

INTUBAÇÃO OROTRAQUEAL

1.6

PARADA CARDIORRESPIRATÓRIA

1.7

CHOQUE

1.8

SEPSE

1.9

INTOXICAÇÃO EXÓGENA

1.10

AFOGAMENTOS

1.11

ANAFILAXIA E REAÇÕES ALÉRGICAS

1.12

MANEJO DA DOR

1.13

QUEIMADURAS

2.

EMERGÊNCIAS CARDIOPULMONARES

2.1

ASMA

2.2

LARINGITE

2.3

PNEUMONIAS

2.4

MIOCARDITE

2.5

ARRITMIAS

2.6

HIPERTENSÃO ARTERIAL

2.7

INSUFICIÊNCIA CARDÍACA

3.

EMERGÊNCIAS INFECCIOSAS

3.1

A CRIANÇA COM FEBRE SEM FOCO

3.2

MENINGITE BACTERIANA

3.3

ENDOCARDITE INFECCIOSA

3.4

INFECÇÃO DO TRATO URINÁRIO

3.5

CELULITES

3.6

PIODERMITES

4.

EMERGÊNCIAS NEUROLÓGICAS

4.1

CRISE CONVULSIVA

4.2

TRAUMATISMO CRANIOENCEFÁLICO

5.

EMERGÊNCIAS RELACIONADAS AO TRATO GASTROINTESTINAL

5.1

DIARREIA AGUDA E DESIDRATAÇÃO

5.2

DOR ABDOMINAL

6.

EMERGÊNCIAS ENDÓCRINAS E METABÓLICAS

6.1

SUPORTE HIDROELETROLÍTICO

6.2

CETOACIDOSE DIABÉTICA

6.3

LESÃO RENAL AGUDA

7.

EMERGÊNCIAS REUMATOLÓGICAS

7.1

FEBRE REUMÁTICA

7.2

ARTRALGIAS

8.

TEMAS ESPECIAIS

8.1

MAUS TRATOS

8.2

VIOLÊNCIA SEXUAL

introdução a "INTOXICAÇÃO EXÓGENA "

A intoxicação exógena consiste na contaminação por um dado agente químico, gerando consequências clínicas e/ou bioquímicas. Essa exposição pode ocorrer de forma acidental ou intencional. No Brasil, a intoxicação acidental é mais comum em crianças menores de 5 anos, estando entre as principais causas a ingestão de medicamentos, produtos químicos de uso doméstico, pesticidas ou plantas tóxicas. Em relação aos adolescentes, é mais recorrente a intoxicação intencional que decorre do uso de drogas de abuso

conduta da "INTOXICAÇÃO EXÓGENA

Em pacientes vítimas de intoxicação exógena, deve-se, inicialmente, avaliar a existência de sintomas graves ou que representem risco iminente de morte e corrigi-los. Nesse sentido, deve-se seguir os passos do PALS com o intuito de assegurar o bom funcionamento das vias aéreas, respiração e circulação. Além disso, deve-se atentar para outros aspectos como depressão do sistema nervoso central (SNC), desidratação, hipotensão, acidose metabólica, funcionamento hepático e renal, taquicardia com repercussão hemodinâmica, bradicardia com alteração hemodinâmica, hipotermia ou hipertermia, hipoglicemia, convulsões e parada cardiorrespiratória

Manejo geral da INTOXICAÇÃO EXÓGENA

Em caso de dificuldade de diagnóstico da intoxicação ou de tratamento, deve-se contatar o Centro de Assistência Toxicológica (CEATOX) específico de cada região. Casos graves devem ser transferidos para o hospital de referência em intoxicações assim que as medidas gerais forem realizadas e o paciente estabilizado. Se a droga ou a dose ingerida não forem consideradas tóxicas, a conduta será expectante: prover suporte e observar o surgimento de sinais ou sintomas

Compartilhe com seus amigos:
Compartilhe com seus amigos: