Livros

Manual Prático para Urgências e Emergências Clínicas

Leia o Livro Completo
Índice
6.7

HIPONATREMIA

DEFINIÇÃO A hiponatremia é defi nida como sódio sérico menor que 135 mEq/L.

ETIOLOGIA DE HIPONATREMIA

Pseudo-hiponatremia ou hiponatremia isotônica (com osmolaridade sérica normal) é uma condição que ocorre em casos com elevadas concentrações de moléculas lípides (triglicérides e colesterol) ou de hiperproteinemias (mieloma múltiplo) no sangue. A dosagem do sódio iônico corrige esse artefato de laboratório; ele só ocorre nos aparelhos de espectrofotometria de chama, que apenas detectam o sódio em fase aquosa

ACHADOS CLÍNICOS DE HIPONATREMIA

A hiponatremia pode se manifestar com: • Sintomas sistêmicos: fraqueza, adinamia, anorexia, fadiga, vômitos, mal-estar; • Manifestações neurológicas: costumam ser progressivas e dependem do valor do sódio sérico e da velocidade de instalação; incluem sonolência, confusão, convulsões e coma.

EXAMES LABORATORIAIS DE HIPONATREMIA

Além do sódio sérico, sódio urinário e glicemia, outros exames poderão ser necessários para o diagnóstico da causa da hiponatremia. • Medida direta da osmolalidade plasmática: nesse caso há três situações: • Hiponatremia com osmolalidade elevada: a mais comum é diabete melito; trata-se de pseudo-hiponatremia; • Hiponatremia com osmolalidade normal: novamente pseudo-hiponatremia. As duas causas mais frequentes são: hiperlipidemias e hiperproteinemias (paraproteínas);

TRATAMENTO DE HIPONATREMIA

As causas mais comuns de hiponatremia grave em adultos são a terapia com tiazídicos, pós-operatórios, SIADH, polidipsia em pacientes psiquiátricos e prostatectomia por ressecção transuretral.

COMPLICAÇÕES DE HIPONATREMIA

A mais temível é a desmielinização osmótica do SNC. As células de pacientes com hiponatremia tentam eliminar osmóis para o extracelular, na tentativa de diminuir a osmolalidade intracelular para se assemelhar àquela sérica

PRESCRIÇÃO DE HIPONATREMIA

1. Dieta oral livre, conforme aceitação. Considerar controle diário da ingesta de sal. 2. Restrição hídrica. 3. Reposição de Sódio:

HIPERNATREMIA

DEFINIÇÃO Hipernatremia é definida como uma concentração sérica de sódio maior que 145 mEq/L

ETIOLOGIA DE HIPERNATREMIA

A principal consequência fisiopatológica da hipernatremia é a hiperosmolaridade, com desidratação celular. Isso proporciona um mecanismo de adaptação, que acontece durante dias, no qual as células acumulam solutos (osmóis idiogênicos), na tentativa de evitar a perda de água para o extracelular. Por isso, a correção rápida da hipernatremia pode ocasionar entrada de água nas células, e levar a edema celular, com consequências potencialmente fatais, sobretudo no sistema nervoso central (rebaixamento do nível de consciência, convulsões e morte)

ACHADOS CLÍNICOS DE HIPERNATREMIA

O achado dominante costuma ser uma profunda desidratação com mucosas ressecadas. O quadro da hipernatremia advém em sua maior parte da disfunção do SNC, causado pela hiperosmolaridade, pode ocorrer náuseas e vômitos, agitação, irritabilidade, letargia, espasmos musculares, tremores, hiperreflexia, espasticidade, convulsões e coma. A desidratação e consequente contração das células cerebrais pode levar ainda à laceração, ruptura vascular com hemorragia subaracnoidea e/ou subcortical, dano neurológico permanente e morte. Deve-se ter muito cuidado ao atribuir déficits neurológicos focais à hipernatremia, nessa situação, uma tomografia de crânio é mandatória.

EXAMES LABORATORIAIS DE HIPERNATREMIA

O diagnóstico é feito pela dosagem sérica do sódio (> 145 mEq/L). Outros exames deverão ser solicitados de acordo com a hipótese clínica; alguns exemplos: • Osmolalidade sérica, urinária e sódio sérico: avaliar diabetes insípidus - a resposta esperada do rim à hipernatremia é concentrar a urina e reter água; urina com osmolalidade muito alta (> 500 mosmol/kg) e volume < 500 mL/dia.

TRATAMENTO DE HIPERNATREMIA

O tratamento da hipernatremia tem três objetivos: 1. Hidratação do paciente; manter a volemia e corrigir instabilidade hemodinâmica, esta é a etapa mais importante no manejo inicial da hipernatremia; 2. Não permitir a redução rápida e brusca do sódio para evitar lesões adicionais no SNC;

PRESCRIÇÃO DE HIPERNATREMIA

1. Dieta oral livre, conforme aceitação, com controle diário da ingesta de sódio (Ex: Máximo de 1-2 g/dia). • Priorizar: corrigir volemia com SF 0,9% (caso hipovolemia associada);

Compartilhe com seus amigos:
Compartilhe com seus amigos: