Livros

Manual Prático para Urgências e Emergências Clínicas

Leia o Livro Completo
Índice
7.1

INTRODUÇÃO DE HIPOGLICEMIA

A hipoglicemia é um estado incomum em pacientes sadios, mas é a complicação mais frequente do tratamento do diabetes mellitus (DM). É potencialmente fatal e deve ser suspeitada quando a glicemia estiver menor que 70 mg/dL ou quando o paciente apresentar alterações neurológicas, principalmente sonolência e rebaixamento de nível de consciêcia.

ETIOLOGIA DE HIPOGLICEMIA

Está frequentemente ligada a períodos de jejum prolongado em pacientes sadios, ao tratamento intensivo (sobredose de insulina ou hipoglicemiante oral) e condutas inadequadas (omissão ou atraso de refeições, exercícios prolongados) de pacientes portadores de DM. Outras possíveis causas são: etilismo; infecções; desnutrição grave; insulinomas; insufi ciência hepática; renal ou adrenal.

MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS DE HIPOGLICEMIA

O quadro clínico é dividido em manifestações adrenérgicas - sinais e sintomas relacionados à descarga simpática (tremor; taquicardia; palpitações; ansiedade; irritabilidade; náuseas; palidez), manifestações neuroglicopênicas – relacionadas ao défi cit de glicose no sistema nervoso central (cefaleia; sonolência; tontura; mal-estar; escurecimento da visão; confusão mental; convulsão) e manifestações colinérgicas (sudorese, fome, parestesias). O estado de coma pode estar presente em quedas acentuadas da glicemia

DIAGNÓSTICO DE HIPOGLICEMIA

Para o diagnóstico, é necessária a presença da tríade de Whipple: hipoglicemia, sintomas de hipoglicemia e remissão desses sintomas após reposição glicêmica. Assim, deve ser feito através da anamnese (investigar a presença de Diabetes Mellitus, uso de medicação hipoglicemiante ou insulina, momento da última refeição, uso de outras medicações, etilismo, drogadição), do exame físico e da glicemia. Deve-se realizar imediatamente glicemia capilar em qualquer paciente que chegue ao pronto-socorro com alterações neurológicas. Em pacientes sabidamente diabéticos, é interessante avaliar também a sua função renal. Outros exames como função hepática, eletrólitos e cortisol sérico (suspeita de insuficiência adrenal), insulina e peptídio C (suspeita de insulinoma) podem ser solicitados. Indivíduos com Diabetes Mellitus descompensado de longa data (glicemia > 250-300mg/dl) podem apresentar sintomas de hipoglicemia com valores acima de 70mg/dl (up regulation). Da mesma forma que indivíduos com episódios recorrentes de hipoglicemia podem se encontrar assintomáticos com valores inferiores a 45mg/dl (down regulation)

TRATAMENTO DE HIPOGLICEMIA

1. Glicose: 25 a 50g IV (50 a 100 mL de glicose a 50%). Em pacientes conscientes, com deglutição preservada, pode ser feita por via oral, através da ingesta de carboidratos de rápida absorção. Por exemplo: • 15 g de carboidrato de rápida absorção: 1 colher de sopa rasa de açúcar em 1 copo d’água, 3 balas moles de caramelo, 3 sachês ou 1 colher de sopa de mel, 150 mL de suco de laranja ou melancia; 150 mL de refrigerante comum, 1 pedaço pequeno (15 g) de rapadura, 2 colheres de sopa de leite condensado;

PROGNÓSTICO DE HIPOGLICEMIA

O prognóstico dos episódios de hipoglicemia dependem da causa de base dessa disfunção, da intensidade e da duração da mesma. Desta forma, enquanto a hipoglicemia causada por jejum prolongado, detectada e tratada precocemente, tem excelente prognóstico, hipoglicemias secundárias a neoplasias tem prognóstico bastante reservado a longo prazo

Compartilhe com seus amigos:
Compartilhe com seus amigos: