Livros

Manual Prático para Urgências e Emergências Clínicas

Leia o Livro Completo
Índice
4.7

INTRODUÇÃO DE SÍNDROME HEPATORRENAL

É uma disfunção renal funcional secundária a uma hepatopatia crônica avançada, insufi ciência hepática grave e hipertensão portal. Pode ser dividida em dois tipos: tipo I (evolução em menos de 2 semanas, creatinina sérica > 2,5 mg/dL ou diminuição do clearance < 20 mL/min) e tipo II (insidiosa, creatinina sérica > 1,5 ou diminuição do clearance < 40 mL/min, melhor prognóstico).

ETIOLOGIA DE SÍNDROME HEPATORRENAL

Resposta inflamatória disseminada (provavelmente causada por translocação bacteriana) e aumento de óxido nítrico, levando a uma vasodilatação esplâncnica, a qual gera uma diminuição do volume circulatório efetivo, que ativa o sistema renina-angiotensina-aldosterona e noradrenérgico, resultando em intensa redução da taxa de fi ltração glomerular

ACHADOS CLÍNICOS DE SÍNDROME HEPATORRENAL

Não existem sinais e sintomas específi cos, mas a redução do débito urinário é o principal achado clínico. Ocorre acentuada retenção de sódio e água, causando edema, ascite e hiponatremia dilucional. Nos estágios mais avançados, o paciente apresenta uma ascite de difícil controle, náuseas e vômitos, hipotensão, obnubilação ou coma. Além de oligúria progressiva e ureia aumentada.

DIAGNÓSTICO DE SÍNDROME HEPATORRENAL

Não há exames laboratoriais específicos para a síndrome, mas, eles caracterizam uma insuficiência hepática crônica descompensada associada à insuficiência renal e padrão pré-rena

DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL DE SÍNDROME HEPATORRENAL

Hipovolemia (hemorragia digestiva, diuréticos, diarreia, vômitos, paracentese de alívio), doença renal, uropatia obstrutiva (câncer do colo do útero, prostatismo, litíase renal, radioterapia abdominal etc.)

TRATAMENTO DE SÍNDROME HEPATORRENAL

O tratamento de escolha é o transplante hepático. O restante do tratamento é orientado para minimizar a disfunção de órgãos até o transplante.

COMPLICAÇÕES DE SÍNDROME HEPATORRENAL

Infecções bacterianas graves (peritonite bacteriana secundária, pneumonia), complicações da insuficiência renal aguda (IRA), hiponatremia levando à disfunção neurológica, hemorragia digestiva, encefalopatia hepática.

Compartilhe com seus amigos:
Compartilhe com seus amigos: