Livros

Manual Prático para Urgências e Emergências Clínicas

Leia o Livro Completo
Índice
4.7
Índice
1.

CARDIOLOGIA

1.1

RESSUSCITAÇÃO CARDIOPULMONAR

1.2

ARRITMIAS CARDÍACAS

1.3

DISSECÇÃO AGUDA DE AORTA

1.4

EDEMA AGUDO DE PULMÃO

1.5

EMERGÊNCIAS HIPERTENSIVAS

1.6

SÍNDROME CORONARIANA AGUDA SEM SUPRADESNIVELAMENTO DE ST

1.7

SÍNDROME CORONARIANA AGUDA COM SUPRADESNIVELAMENTO DE ST

1.8

INSUFICIÊNCIA CARDÍACA AGUDA

2.

NEUROLOGIA

2.1

ACIDENTE VASCULAR CEREBRAL

2.2

CEFALIA

2.3

ESTADO DE MAL EPILÉPTICO: CRISE CONVULSIVA

2.4

REBAIXAMENTO DO NÍVEL DE CONSCIÊNCIA, COMA E MORTE ENCEFÁLICA

3.

PNEUMOLOGIA

3.1

ASMA

3.2

DOENÇA PULMONAR OBSTRUTIVA CRÔNICA

3.3

DERRAME PLEURAL

3.4

TROMBOEMBOLISMO PULMONAR

3.5

PNEUMONIA

4.

GASTROENTEROLOGIA

4.1

DIARREIA AGUDA

4.2

HEMORRAGIA DIGESTIVA ALTA

4.3

HEMORRAGIA DIGESTIVA BAIXA

4.4

PANCREATITE AGUDA

4.5

ASCITE

4.6

PERITONITE BACTERIA ESPONTÂNEA

4.7

SÍNDROME HEPATORRENAL

4.8

ENCEFALOPATIA HEPÁTICA

5.

INFECTOLOGIA

5.1

SEPSE

5.2

DENGUE

5.3

ZICA

5.4

FEBRE DE CHIKUNGUNYA

5.5

INFLUENZA A - H1N1

5.6

INFLUENZA A - H1N2

5.7

INFLUENZA A - H1N3

5.8

INFLUENZA A - H1N4

5.9

INFLUENZA A - H1N5

5.10

INFLUENZA A - H1N6

5.11

INFLUENZA A - H1N7

5.12

ENDOCARDITE INFECCIOSA

5.13

INFECÇÕES DE PELE E PARTES MOLES

5.14

MENINGITES AGUDAS

5.15

PIELONEFRITE AGUDA

5.16

SÍNDROMES ICTÉRICAS

6.

NEFROLOGIA

6.1

INJÚRIA RENAL AGUDA

6.2

COMPLICAÇÕES DA DIÁLISE

6.3

DISTÚRBIOS ÁCIDOBÁSICOS

6.4

DISTÚRBIOS DO CÁLCIO

6.5

DISTÚRBIOS DO FÓSFORO E MAGNÉSIO

6.6

DISTÚRBIOS DO POTÁSSIO

6.7

DISTÚRBIOS DO SÓDIO

7.

ENDOCRINOLOGIA

7.1

HIPOGLICEMIA

7.2

CETOACIDOSE DIABÉTICA E ESTADO HIPERGLICÊMICO HIPEROSMOLAR

7.3

COMA MIXEDEMATOSO

7.4

CRISE TIREOTÓXICA

7.5

INSUFICIÊNCIA ADRENAL

8.

HEMATOLOGIA

8.1

NEUTROPENIA FEBRIL

8.2

INTOXICAÇÃO POR CUMARÍNICOS

8.3

INDICAÇÃO DE TRANSFUSÃO DE HEMODERIVADOS

8.4

ANEMIA FALCIFORME

8.5

SÍNDROME DE LISE TUMORAL

8.6

SÍNDROME DA VEIA CAVA SUPERIOR E COMPRESSÃO MEDULAR AGUDA NEOPLÁSICA

9.

PSIQUIATRIA

9.1

EMERGÊNCIAS PSIQUIÁTRICAS

10.

GERIATRIA

10.1

SÍNDROME INFECCIOSA NO IDOSO

10.2

DELIRIUM

10.3

POLIFARMÁCIA NO PS

10.4

QUEDAS

10.5

CUIDADOS PALIATIVOS

11.

REUMATOLOGIA

11.1

LOMBALGIA

11.2

MONOARTRITES AGUDAS

12.

TERAPIA INTENSIVA

12.1

CRITÉRIOS DE ADMISSÃO EM UTI

12.2

MANEJO DO PACIENTE CRÍTICO

12.3

SEQUÊNCIA RÁPIDA DE INTUBAÇÃO

12.4

MONITORIZAÇÃO HEMODINÂMICA

12.5

SEDAÇÃO E ANALGESIA EM UTI

12.6

COMUNICAÇÃO DE MÁS NOTICIAS

INTRODUÇÃO DE SÍNDROME HEPATORRENAL

É uma disfunção renal funcional secundária a uma hepatopatia crônica avançada, insufi ciência hepática grave e hipertensão portal. Pode ser dividida em dois tipos: tipo I (evolução em menos de 2 semanas, creatinina sérica > 2,5 mg/dL ou diminuição do clearance < 20 mL/min) e tipo II (insidiosa, creatinina sérica > 1,5 ou diminuição do clearance < 40 mL/min, melhor prognóstico).

ETIOLOGIA DE SÍNDROME HEPATORRENAL

Resposta inflamatória disseminada (provavelmente causada por translocação bacteriana) e aumento de óxido nítrico, levando a uma vasodilatação esplâncnica, a qual gera uma diminuição do volume circulatório efetivo, que ativa o sistema renina-angiotensina-aldosterona e noradrenérgico, resultando em intensa redução da taxa de fi ltração glomerular

ACHADOS CLÍNICOS DE SÍNDROME HEPATORRENAL

Não existem sinais e sintomas específi cos, mas a redução do débito urinário é o principal achado clínico. Ocorre acentuada retenção de sódio e água, causando edema, ascite e hiponatremia dilucional. Nos estágios mais avançados, o paciente apresenta uma ascite de difícil controle, náuseas e vômitos, hipotensão, obnubilação ou coma. Além de oligúria progressiva e ureia aumentada.

DIAGNÓSTICO DE SÍNDROME HEPATORRENAL

Não há exames laboratoriais específicos para a síndrome, mas, eles caracterizam uma insuficiência hepática crônica descompensada associada à insuficiência renal e padrão pré-rena

DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL DE SÍNDROME HEPATORRENAL

Hipovolemia (hemorragia digestiva, diuréticos, diarreia, vômitos, paracentese de alívio), doença renal, uropatia obstrutiva (câncer do colo do útero, prostatismo, litíase renal, radioterapia abdominal etc.)

TRATAMENTO DE SÍNDROME HEPATORRENAL

O tratamento de escolha é o transplante hepático. O restante do tratamento é orientado para minimizar a disfunção de órgãos até o transplante.

COMPLICAÇÕES DE SÍNDROME HEPATORRENAL

Infecções bacterianas graves (peritonite bacteriana secundária, pneumonia), complicações da insuficiência renal aguda (IRA), hiponatremia levando à disfunção neurológica, hemorragia digestiva, encefalopatia hepática.

Compartilhe com seus amigos:
Compartilhe com seus amigos:
Política de Privacidade. © Copyright, Todos os direitos reservados.