Livros

Sistema Endócrino - Coleção Medicina Resumida

Leia o Livro Completo
Índice
7.7

ESPERMATOGÊNESE

A espermatogênese é o nome que se dá ao processo de produção dos espermatozoides pelos testículos e as células de Sertoli tem papel fundamental nessa formação. Essas células vão da lâmina basal até a extremidade apical, próximo ao lúmen dos túbulos seminíferos, envolvendo os estágios celulares até a formação do espermatozoide.

ESPERMIOGÊNESE

É a fase final da produção dos espermatozoides, quando as espermátides se transformam em espermatozoides na ausência de divisão celular. Nesse processo ocorre a formação das partes do espermatozoide, começando pelo acrossomo, condensação e alongamento do núcleo, desenvolvimento do flagelo e perda da maior parte do citoplasma.

FATORES QUE INFLUENCIAM A ESPERMATOGÊNSE: HORMÔNIOS

A testosterona é secretada pelas células de Leydig e tem papel importante para o crescimento e divisão das células do primeiro estágio da formação, as germinativas testiculares.

FATORES QUE INFLUENCIAM A ESPERMATOGÊNSE: TEMPERATURA

A espermatogêse só ocorre em temperaturas abaixo de 37 ºC, por isso a temperatura tem uma importância muito grande nesse processo. A temperatura dos testículos é em torno de 35 ºC e ela é controlada por mecanismos que envolvem o extenso plexo venoso (plexo pampiniforme) que ajuda na perda de calor pelos testículos;

HORMÔNIOS MASCULINOS: CARACTERÍSTICAS GERAIS

O principal andrógeno produzido pelos testículos é a testosterona. Ela é produzida pelas células de Leydig a partir do colesterol, como ocorre com todas as células esteroidogênicas, sendo a célula de Leydig semelhante às células da zona reticular das adrenais (capítulo 3), porém expressa uma isoforma diferente da 17β-hidroxiesteroide desidrogenase (17β-HSD tipo 3) que converte androstenediona em testosterona.

HORMÔNIOS MASCULINOS: MECANISMO DE AÇÃO DOS ANDRÓGENOS

Tanto a testosterona como a Di-hidrotestosterona agem através do mesmo receptor androgênico (AR). Quando está sem ligante algum esse receptor se encontra no citoplasma acoplado a algumas proteínas chaperonas.

HORMÔNIOS MASCULINOS: TRANSPORTE E METABOLISMO DO ANDRÓGENOS

Os andrógenos são hormônios esteroides, portanto lipossolúveis o que os impede de circular livremente no plasma. Aproximadamente 60% da testosterona circulante está ligada à globulina Ligadora de hormônio sexual (SHBG), 28% segue ligada à albumina e os outros 2% restantes estão “livres” para exercer suas funções.

HORMÔNIOS MASCULINOS: AÇÕES FISIOLÓGICAS DA TESTOSTERONA

A testosterona tem papel importante durante a vida fetal sendo responsável pelo desenvolvimento das características masculinas, como: formação do pênis e do saco escrotal, da próstata, vesículas seminais e ductos genitais masculinos enquanto suprime a formação dos órgãos femininos. Além disso influencia na descida dos testículos para a bolsa escrotal e estimula a atividade das células de Sertoli

HORMÔNIOS MASCULINOS: REGULAÇÃO DAS FUNÇÕES SEXUAIS MASCULINAS

O controle das funções sexuais tanto do homem, como da mulher, como veremos nos próximos capítulos, é realizada a partir da liberação do hormônio liberador de gonadotropina (GnRH) pelos neurônios cujos corpos celulares estão no núcleo arqueado do hipotálamo. O GnRH estimula a hipófise anterior a secretar os dois hormônios gonadotróficos: hormônio luteinizante (LH) e hormônio folículo estimulante (FSH). O LH estimula a células de Leydi a secretarem testosterona e o FSH estimula as células de Sertoli e principalmente a espermatogênese.

Compartilhe com seus amigos:
Compartilhe com seus amigos: