Livros

Sistema Endócrino - Coleção Medicina Resumida

Leia o Livro Completo
Índice
7.5
Índice
1.

Introdução ao Sistema Endócrino

1.1

CASO CLÍNICO DO Introdução ao Sistema Endócrino

1.2

Introdução ao Sistema Endócrino

1.3

OS HORMÔNIOS

1.4

OS RECEPTORES HORMONAIS

1.5

REGULAÇÃO POR ALÇAS DE RETROALIMENTAÇÃ

1.6

EIXO HIPOTÁLAMO HIPÓFISE

2.

A Glândula Tireoide

2.1

CASO CLÍNICO DA Glândula Tireoide

2.2

ANATOMIA DA Glândula Tireoide

2.3

HISTOLOGIA DA Glândula Tireoide

2.4

FISIOLOGIA DA Glândula Tireoide

3.

Glândula Suprarrenal

3.1

CASO CLÍNICO DA Glândula Suprarrenal

3.2

ANATOMIA DA Glândula Suprarrenal

3.3

HISTOLOGIA DA Glândula Suprarrenal

3.4

FISIOLOGIA DA Glândula Suprarrenal

4.

Hormônio do Crescimento

4.1

CASO CLÍNICO DO Hormônio do Crescimento

4.2

O HORMÔNIO DO CRESCIMENTO

4.3

O RECEPTOR DE GH

4.4

OS EFEITOS FISIOLÓGICOS DO GH

4.5

REGULAÇÃO DA SECREÇÃO DO GH

5.

O Pâncreas Endócrino

5.1

CASO CLÍNICO DO Pâncreas Endócrino

5.2

ANATOMIA DO PÂNCREAS

5.3

HISTOLOGIA DO PÂNCREAS

5.4

FISIOLOGIA DO PÂNCREAS

6.

O Metabolismo do Cálcio e do Fosfato

6.1

CASO CLÍNICO DE O Metabolismo do Cálcio e do Fosfato

6.2

REGULAÇÃO DO METABOLISMO DO CÁLCIO E DO FOSFATO PELO PARATORMÔNIO, CALCITONINA E VITAMINA D

6.3

PARATORMÔNO (PTH)

6.4

CALCITONINA

6.5

VITAMINA D

7.

O Sistema Reprodutor Masculino

7.1

CASO CLÍNICO DO SISTEMA REPRODUTOR MASCULINO

7.2

O SISTEMA REPRODUTOR MASCULINO

7.3

DIFERENCIAÇÃO DAS GENITÁLIAS NO SISTEMA DE DIFERENCIAÇÃOREPRODUTOR MASCULINO

7.4

ANATOMIA E HISTOLOGIA

7.5

ÓRGÃOS INTERNOS ANATOMIA E HISTOLOGIA

7.6

ÓRGÃOS EXTERNOS

7.7

FISIOLOGIA

8.

O Sistema Reprodutor Feminino

8.1

CASO CLÍNICO: O Sistema Reprodutor Feminino

8.2

O SISTEMA REPRODUTOR FEMININO

8.3

ANATOMIA E HISTOLOGIA: ÓRGÃOS INTERNOS

8.4

ÓRGÃOS EXTERNOS

8.5

FISIOLOGIA

9.

Gestação e Lactação

9.1

CASO CLÍNICO - GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

9.2

GESTAÇÃO

9.3

A PLACENTA E SUAS FUNÇÕES

9.4

HORMÔNIOS

9.5

TRANSPORTE DE SUBSTÂNCIAS

9.6

LACTAÇÃO

9.7

PARTO

TESTÍCULOS

Os testículos são as gônadas masculinas, os órgãos reprodutores do homem e fazem parte tanto do sistema genital, produzindo os espermatozoides, como do sistema endócrino, produzindo a testosterona.

VASCULARIZAÇÃO DOS TESTÍCULOS: ARTÉRIAS TESTICULARES

As artérias testiculares são originadas diretamente da aorta abdominal, e saem logo abaixo das artérias renais. A artéria testicular direita é anterior à veia cava inferior e posterior à parte horizontal do duodeno, às artérias cólica direita e ileocólica, à raíz do mesentério e à porção terminal do íleo

VASCULARIZAÇÃO DOS TESTÍCULOS: VEIAS TESTICULARES

Os testículos e o epidídimo são drenados por pequenas veias que se unem para formar o plexo pampiniforme, um componente importante do funículo espermático.

VASCULARIZAÇÃO DOS TESTÍCULOS: VEIAS TESTICULARES - DRENAGEM LINFÁTICA

Os vasos linfáticos dos testículos partem da túnica vaginal a partir de um plexo superficial e do parênquima do testículo e do epidídimo a partir de um plexo profundo.

VASCULARIZAÇÃO DOS TESTÍCULOS: VEIAS TESTICULARES -ESTRUTURA HISTOLÓGICA

Os testículos tem seu revestimento feito pela túnica albugínea, um tecido conjuntivo denso que forma o mediastino do testículo na região dorsal.

VASCULARIZAÇÃO DOS TESTÍCULOS: FUNÇÕES DAS CÉLULAS DE SERTOLI

Por atravessarem a membrana dos túbulos elas funcionam como suporte estrutural ao epitélio seminífero e fornecem suprimento nutricional aos espermatozoides, já que eles são isolados do sangue pela barreira hematotesticular a qual lhes confere proteção, inclusive imunológica.

VASCULARIZAÇÃO DOS TESTÍCULOS: EPIDÍDIMO

É uma estrutura que fica posterior e levemente lateralizada ao testículo. Ele é responsável por armazenar e amadurecer os espermatozoides produzidos pelos túbulos seminíferos e é formado por cabeça, corpo e cauda.

VASCULARIZAÇÃO DOS TESTÍCULOS: EPIDÍDIMO - ESTRUTURA HISTOLÓGICA

O conteúdo que se encontra nos dúctulos eferentes é levado até o ducto do epidídimo. Ele é muito enovelado e formado por epitélio colunar pseudoestratificado, com células basais arredondadas e células colunares chamadas células principais que possuem microvílos, os estereocílios.

VASCULARIZAÇÃO DOS TESTÍCULOS: DUCTOS DEFERENTES

O ducto deferente é o principal componente do funículo espermático e começa como um túbulo muscular na cauda do epidídimo. Tem 45cm de comprimento e tem como função levar os espermatozoides até os ductos ejaculatórios.

VASCULARIZAÇÃO DOS TESTÍCULOS: DUCTOS DEFERENTES -ESTRUTURA HISTOLÓGICA

O ducto deferente tem um lúmen estreito e uma camada de músculo liso bem espessa que é formada por fibras internas e externas longitudinais separadas por circulares.

VASCULARIZAÇÃO DOS TESTÍCULOS: DUCTOS EJACULATÓRIOS

São formados, de cada lado, pela união do ducto da vesícula seminal com a ampola do ducto deferente. São pequenos, medindo cerca de 2cm de comprimento, se originam na região posterior da bexiga e atravessam a base da próstata e as laterais do utrículo prostático.

VASCULARIZAÇÃO DOS TESTÍCULOS: VESÍCULAS SEMINAIS (GLÂNDULAS SEMINAIS)

As vesículas seminais são em número de duas, tem cerca de 5cm de comprimento, um formato piramidal e se localizam entre a bexiga e o reto e superior à próstata. A vesícula seminal é um tubo enovelado único com divertículos associados à tecido conjuntivo fibroso.

VASCULARIZAÇÃO DOS TESTÍCULOS: VESÍCULAS SEMINAIS (GLÂNDULAS SEMINAIS) -ESTRUTURA HISTOLÓGICA

As vesículas seminais são dois tubos tortuosos de mucosa pregueada e revestida por epitélio cuboide ou pseudoestratificado colunar. Possui uma lâmina própria rica em fibras elásticas e envolvida por fibras musculares lisas.

VASCULARIZAÇÃO DOS TESTÍCULOS: PRÓSTATA

A próstata é a maior glândula acessória do sistema reprodutor masculino, com 3cm de comprimento, 4cm de largura e 2cm de profundidade. Ela é coberta por uma cápsula fibrosa densa que aloja plexos de vasos e nervos, por isso é neurovascular. É uma glândula firme que tem o 1/3 anterior formado por tecido fibromuscular e os 2/3 posteriores formados por tecido glandular

VASCULARIZAÇÃO DOS TESTÍCULOS: PRÓSTATA - ESTRUTURA HISTOLÓGICA

A próstata se constitui em um conjunto de glândulas tubuloalveolares ramificadas formadas por epitélio cuboide alto ou pseudoestratificado colunar e um estroma fibromuscular que as cercam. A próstata é envolvida por uma cápsula de tecido fibroelástico abundante em fibras musculares lisas que penetra no interior da glândula originando septos que a divide em lóbulos.

VASCULARIZAÇÃO DOS TESTÍCULOS: GLÂNDULAS BULBOURETRAIS

O homem possui 2 glândulas bulbouretrais, também chamadas de glândulas de Cowper, elas são pequenas, cerca de 1cm de diâmetro, arredondadas e amareladas.

VASCULARIZAÇÃO DOS TESTÍCULOS: GLÂNDULAS BULBOURETRAIS - ESTRUTURA HISTOLÓGICA

São glândulas tubuloalveolares revestidas por epitélio cúbico simples secretor de muco que age como lubrificante.

Compartilhe com seus amigos:
Compartilhe com seus amigos: