Livros

Sistema Renal - Coleção Medicina Resumida

Leia o Livro Completo
Índice
7.5

CONTROLE DA EXCREÇÃO RENAL DO CÁLCIO

Já vimos que cerca de 50% do cálcio plasmático está ionizado (não ligado às proteínas plasmáticas) e é justamente essa mesma quantidade de cálcio que será filtrada pelos glomérulos. Em indivíduos sadios, cerca de 99% do cálcio filtrado é reabsorvido ao longo dos túbulos, ocorrendo a eliminação urinária do 1% restante.

REABSORÇÃO DO CÁLCIO NO TÚBULO PROXIMAL

Uma grande parte do cálcio é reabsorvida nessa região por via paracelular, junto com a água que é reabsorvida por entre as células desse ramo tubular, como ilustra a (imagem 4). O restante do cálcio é reabsorvido por via transcelular. Nessa última via o cálcio se difunde do lúmen tubular em direção à célula – devido a sua alta concentração no lúmen tubular em relação ao interior da célula –, além do fato de a face interna da membrana plasmática da célula ter carga relativa negativa, o que favorece a sua entrada. A ação da bomba de cálcio-ATPase e do contratransportador de sódio-cálcio também são importantes no trânsito do cálcio nessa região.

ALÇA DE HENLE E REABSORÇÃO DE CÁLCIO NO TÚBULO DISTAL

Apenas no ramo ascendente espesso de toda extensão da alça de Henle o cálcio será reabsorvido. Metade do cálcio será reabsorvido pela via paracelular (por difusão passiva) e a outra metade restante ocorre por via transcelular – sofrendo ação do PTH. O PTH controla a reabsorção tubular renal de cálcio, porque estimula a reabsorção de cálcio no ramo ascendente espesso de Henle e nos túbulos distais, o que diminui consideravelmente a excreção urinária de cálcio.

Compartilhe com seus amigos:
Compartilhe com seus amigos: