Livros

Sistema Renal - Coleção Medicina Resumida

Leia o Livro Completo
Índice
7.3
Índice
1.

Sistema Renal: Visão Geral e Anatomia

1.1

CASO CLÍNICO DE Sistema Renal: Visão Geral e Anatomia

1.2

VISÃO GERAL DE Sistema Renal: Visão Geral e Anatomia

1.3

ANATOMIA DO Sistema Renal: Visão Geral e Anatomia

2.

Histologia do Sistema Renal

2.1

CASO CLÍNICO DO HISTOLOGIA DO SISTEMA RENAL

2.2

Histologia do Sistema Renal

2.3

O NÉFRON

2.4

OS TÚBULOS E DUCTOS COLETORES

2.5

O INTERSTÍCIO RENAL

2.6

AS VIAS URINÁRIAS

3.

Manutenção do Volume dos Líquidos Corporais

3.1

CASO CLÍNICO - Manutenção do Volume dos Líquidos Corporais

3.2

CASO CLÍNICO - Manutenção do Volume dos Líquidos Corporais

3.3

ENTENDIMENTO INICIAL SOBRE OS LÍQUIDOS CORPORAIS

3.4

A TROCA DE LÍQUIDOS EM CONDIÇÕES NORMAIS

3.5

CONTROLE HÍDRICO ATRAVÉS DO RIM

3.6

COMPARTIMENTO DOS LÍQUIDOS CORPORAIS

3.7

REGULAÇÃO DA TROCA DE LÍQUIDOS ENTRE OS COMPARTIMENTOS

4.

Filtração Glomerular

4.1

CASO CLÍNICO - Filtração Glomerular

4.2

Filtração Glomerular

4.3

VISÃO GERAL DA FORMAÇÃO DA URINA

4.4

A PRIMEIRA ETAPA DE FORMAÇÃO DA URINA

4.5

DETERMINANTES DA FILTRAÇÃO GLOMERULAR (FG)

4.6

FLUXO SANGUÍNEO RENAL

4.7

CONTROLE FISIOLÓGICO DA FG E DO FLUXO SANGUÍNEO RENAL

4.8

AUTORREGULAÇÃO DA FG E DO FLUXO RENAL

5.

Reabsorção e Secreção Tubular

5.1

CASO CLÍNICO

5.2

Reabsorção e Secreção Tubular

5.3

A REABSORÇÃO TUBULAR E SEUS MECANISMOS ATIVOS E PASSIVOS DE TRANSPORTE

5.4

OS MECANISMOS DE REABSORÇÃO E SECREÇÃO TUBULAR AO LONGO DO NÉFRON

5.5

MECANISMOS DE REGULAÇÃO DA REABSORÇÃO E SECREÇÃO

6.

Concentração e Diluição da Urina

6.1

CASO CLINICO

6.2

Concentração e Diluição da Urina

6.3

EXCREÇÃO RENAL DE H2O VS URINA DILUÍDA

6.4

CONSERVAÇÃO RENAL DE H2O VS URINA CONCENTRADA

6.5

CONTROLE DA OSMOLARIDADE DO SÓDIO NO LÍQUIDO EXTRACELULAR

7.

Regulação Renal dos Demais Íons (K+ , Ca2+, PO4 3-, Mg2+)

7.1

Caso clínico

7.2

REGULAÇÃO DA CONCENTRAÇÃO DO POTÁSSIO EXTRACELULAR E SUA EXCREÇÃO

7.3

MECANISMO DE EXCREÇÃO RENAL DO POTÁSSIO

7.4

REGULAÇÃO DA CONCENTRAÇÃO DO CÁLCIO EXTRACELULAR E SUA EXCREÇÃO

7.5

CONTROLE DA EXCREÇÃO RENAL DO CÁLCIO

7.6

REGULAÇÃO DA EXCREÇÃO RENAL DE FOSFATO

7.7

CONCENTRAÇÃO E EXCREÇÃO DO MAGNÉSIO EXTRACELULAR

8.

Equilíbrio Acidobásico

8.1

CASO CLÍNICO

8.2

Equilíbrio Acidobásico

8.3

CONCEITOS ELEMENTARES – ÁCIDOS E BASES

8.4

REGULAÇÃO DA CONCENTRAÇÃO DO ÍON H+

8.5

MECANISMOS CORPORAIS DE DEFESA: PULMÕES, TAMPÕES E RINS

8.6

SECREÇÃO TUBULAR DE H+ E REABSORÇÃO TUBULAR DE HCO3 -

8.7

PRODUÇÃO DE “NOVO” HCO3 - PELA AÇÃO DOS SISTEMASTAMPÕES FOSFATO E AMÔNIA

8.8

COMO OS RINS CORRIGEM A ACIDOSE

8.9

COMO OS RINS CORRIGEM A ALCALOSE

MECANISMO DE EXCREÇÃO RENAL DO POTÁSSIO

A excreção renal de potássio (assim como qualquer outra substância) é determinada pelo somatório dos três processos básicos: (1) filtração, (2) reabsorção tubular e (3) secreção tubular.

SECREÇÃO DE POTÁSSIO PELAS CÉLULAS PRINCIPAIS DOS TÚBULOS COLETORES CORTICAIS DISTAIS FINAIS

Cerca de 90% da massa celular dos túbulos coletores corticais e distais finais são formadas pelas células principais, responsáveis, conforme já explicado, por secretar potássio no lúmen tubular.

SECREÇÃO DE POTÁSSIO PELAS CÉLULAS PRINCIPAIS DOS TÚBULOS COLETORES CORTICAIS DISTAIS FINAIS - CONTROLE DA SECREÇÃO DE POTÁSSIO PELAS CÉLULAS PRINCIPAIS

A secreção de potássio pelas células principais depende basicamente de quatro fatores que controlam tal processo: (1) da atividade da ATPase Na+/K+ na membrana basolateral, (2) do gradiente de concentração do potássio criado com o seu transporte do interstício para dentro da célula através da bomba de sódio-potássio, (3) da quantidade de Na+ que chega em túbulo coletor e é absorvido pelo canal ENaC em membrana luminal e (4) da permeabilidade da membrana luminal pelos poros de efluxo com o potássio.

SECREÇÃO DE POTÁSSIO PELAS CÉLULAS PRINCIPAIS DOS TÚBULOS COLETORES CORTICAIS DISTAIS FINAIS - AS CÉLULAS INTERCALADAS E A REABSORÇÃO DE POTÁSSIO DURANTE A DEPLEÇÃO DE POTÁSSIO

Quando alguma situação clínica faz um paciente hipersecretar a aldosterona, o seu potássio intracelular será perdido para o líquido extracelular e, a partir daí, será eliminado para o meio externo. Nesse sentido, haverá uma resposta compensatória do corpo para pôr um fim à sua perda e poupar o máximo de potássio possível, por meio de um aumento na sua reabsorção nos túbulos coletores distais finais.

FATORES QUE REGULAM A SECREÇÃO DE POTÁSSIO

A regulação da secreção do potássio pelas células principais age no sentido de estimular ou inibir a sua secreção.

FATORES QUE REGULAM A SECREÇÃO DE POTÁSSIO - EFEITO DA CONCENTRAÇÃO PLASMÁTICA DE POTÁSSIO ELEVADA

Quando a concentração extracelular do potássio está elevada, a sua secreção também será aumentada, na tentativa de reduzir sua concentração plasmática.

FATORES QUE REGULAM A SECREÇÃO DE POTÁSSIO - A ALDOSTERONA ESTIMULA A SECREÇÃO DE POTÁSSIO

Já sabemos que é um hormônio que agirá nas células principais dos túbulos e dos ductos coletores, cuja função é promover a reabsorção ativa dos íons Na+ – através da bomba de sódio- -potássio. Essa ATPase transporta o sódio de dentro da célula para o interstício e depois para os capilares sanguíneos peritubulares, na medida em que faz o bombeamento do potássio no sentido oposto ao sódio, isto é, do interstício para a célula e, posteriormente, para o lúmen tubular.

FATORES QUE REGULAM A SECREÇÃO DE POTÁSSIO -O AUMENTO DO FLUXO TUBULAR DISTAL ESTIMULA A SECREÇÃO DE POTÁSSIO

Quando o túbulo distal recebe um fluxo de líquido filtrado após um indivíduo ingerir uma quantidade maior de sódio, ou quando ele sofrer uma expansão de volume (por exemplo, terapia de hidratação parenteral) ou quando estiver usando continuamente diuréticos, o organismo irá trabalhar no sentido de estimular a secreção de potássio. Em oposição, caso haja uma redução do fluxo tubular distal, a secreção de potássio será reduzida.

FATORES QUE REGULAM A SECREÇÃO DE POTÁSSIO - ACIDOSE VS SECREÇÃO DE POTÁSSIO

Essa parte é mais a título de revisão e fixação, porque já vimos anteriormente neste capítulo a influência que a concentração de H+ exerce sobre a concentração de K+. Condições como a acidose e alcalose metabólica são capazes de afetar a concentração de potássio extracelular.

Compartilhe com seus amigos:
Compartilhe com seus amigos: