Ciclos da Medicina

Dez dicas essenciais para todo recém-formado em medicina

Dez dicas essenciais para todo recém-formado em medicina

Compartilhar
Imagem de perfil de Marcel Aureo

Veja neste artigo orientações essenciais para qualquer recém-formado em medicina. Saiba mais e não passe perrengue!

Você dormiu interno e acordou médico? Então esse texto lhe diz respeito. Os seis anos – ou mais de dois mil dias – chegaram ao fim. Agora você, caro leitor, tem a responsabilidade de médico, de definir as condutas e de carimbar, registrando o seu nome.

É comum o medo, a ansiedade e a insegurança – no entanto, tudo isso faz parte do processo de formação médica.

Quando o médico se forma, ele ganha o título de generalista, que é aquele que atende todas as categorias de enfermidade em pessoas de qualquer idade.

Possibilidades de trabalho para o recém-formado em medicina

  1. Trabalhar em unidades básicas de saúde;
  2. Atividades na medicina do trabalho;
  3. Realizar plantões em urgências e emergências (em unidades de pronto atendimento e/ou em hospitais de porta aberta);
  4. Tornar-se residente nas mais diversas especialidades. Atualmente, existem 54 opções, segundo dados do Conselho Federal de Medicina;
  5. Uma quinta opção é estudar uma pós-graduação.

Quem define a função que você vai realizar após a formatura é, além do mercado do trabalho, suas metas!

Recém-formado em medicina: dicas para rotina

Se você não sabe como agir nos primeiros meses de formado, fique atento às DEZ dicas abaixo, que visam contribuir com a rotina diária do recém-formado.

1 – Confie no seu atendimento e conduta

Você pode ter dúvida ao atender algum paciente, mas não deve perder a confiança em si. É normal sentir-se um pouco inseguro, mas lembre-se que terminamos uma graduação com exposição a diversos casos semelhantes! Então, tenha autoconfiança e se for necessário, solicite ajuda.

2 – Peça ajuda, quando precisar

Caso precise, não tenha medo de solicitar ajuda a outros colegas de forma presencial ou em grupos de mensageiros instantâneos, seja o grupo de sua faculdade ou outros, criados com esse intuito.

3 – Trabalhe com um amigo

Uma dica importante é começar sua primeira função, como médico, com um colega, que possam tirar dúvidas entre si.

No primeiro mês de trabalho na atenção básica, tive o prazer de compartilhar funções com o Lucas. Um grande amigo, que havia se formado em um semestre antes de mim. Sempre que um ou outro tinha dúvida, discutíamos o caso e chegávamos a um consenso.

4 – Mantenha boa relação com os profissionais

Todos os indivíduos gostam e precisam ser respeitados, e isso é essencial nos ambientes de trabalho para manutenção de um ambiente organizado e harmonioso.

A má relação entre os profissionais de um determinado setor pode comprometer todo o fluxo de atendimento, principalmente se repercutir em prejuízo para as funções das equipes multidisciplinares.

5 – Atenção aos locais com estruturas precárias

Segundo o código de ética médica, lançado em 2019, é direito do médico:

“Recusar-se a exercer sua profissão em instituição pública ou privada onde as condições de trabalho não sejam dignas ou possam prejudicar a própria saúde ou a do paciente, bem como a dos demais profissionais…” (Conselho Federal de Medicina, 2019.).

Com base nisso, não aceite trabalhar em locais onde você, como médico, não conseguirá realizar seus atendimentos e condutas de forma correta. Por exemplo, evite serviços que não tenham disponibilidade de medicações e exames importantes.

6 – Comunique-se bem

É muito importante que você desenvolva habilidades de boa comunicação com a equipe multidisciplinar e com seu paciente. Uma vez que uma parte significativa dos cuidados e dos tratamentos está ligada ao formato de como essa comunicação acontece. Caso se interesse pelo tema, clique aqui para ler um artigo de como se comunicar com seu paciente.

7 – Descanse

É de conhecimento de todos que os profissionais da saúde geralmente não completam as oito horas ininterruptas de sono. No entanto, o ato de descansar é muito importante para melhor compressão da rotina diária e concentração em suas atividades, seja de trabalho ou de estudo, além de evitar fadiga e queda de imunidade.

8 – Gerencie seu tempo

A ausência de gerenciamento do tempo prejudica sua eficácia e pode causar estresse, então não se especialize em dar plantões, nem em trabalhar todos os dias. Tenha tempo para o lazer, para os amigos, para o (a) companheiro (a) e família.

9 – Cuidado com calotes

Antes de trabalhar em alguma localidade, procure saber sobre a estrutura do local de atendimento (como comentado no item 3) e se a instituição pagadora honra com os pagamentos, afinal ninguém quer trabalhar de forma gratuita.

Você pode perguntar a colegas próximos ou em grupos de plantões sobre experiência de outros profissionais nesse determinado serviço médico.

10 – Atualize-se sempre

Pode ser considerado um absurdo o pensamento de que pode parar de estudar apenas pelo fato de ter terminado a graduação, uma vez que sempre haverá novidades no âmbito médico. É muito importante se atualizar. Leia artigos, revise temas que você não está acostumado a lidar, discuta com colegas.

Com dúvidas sobre qual residência médica você deve escolher? Conheça nosso livro Como escolher a sua Residência Médica!

Autot: Marcel Aureo, médico generalista. Caso queira ler mais textos de minha autoria, clique aqui.

Instagram: @aureomarcel

O texto acima é de total responsabilidade do autor e não representa a visão da sanar sobre o assunto.