Colunistas

Mudanças comportamentais geradas pelo efeito do covid-19 e o impacto na sociedade | Colunistas

Mudanças comportamentais geradas pelo efeito do covid-19 e o impacto na sociedade | Colunistas

Compartilhar

Introdução

Diante de todo o quadro pandêmico desde o início em dezembro de 2020 até a data presente deste artigo, evidenciou-se uma mudança que atingiu todas as áreas da sociedade desde o modo como agimos em casa, restrição de ambientes, novos hábitos como uso de máscara, lavagens de mãos, mudanças alimentares, alterações na forma de convívio com familiares distantes (principalmente os idosos e imunossuprimidos), aumento do contato virtual, o ambiente virtual se tornando local de aprendizagem e de trabalho com mais vigor, uso de máscaras e álcool em gel etc. Outro fato que revela esta transição são as palavras mais buscadas pelo google em 2020 “sintomas do coronavírus”, “coronavírus”, “morte”, “hantavírus”, “Google Classroom”, “zoom”, “Máscara”, “George Floyd”, “Black Lives Matter”, “Resultados eleitorais nos EUA”, “Joe Biden”. Em 2021 “O que é imunossuprimidos”, “Vacina covid-19”, “Lockdown”, “Quanto custa um cilindro de oxigênio”, “Pfizer”, “Doomscrolling, “como ajudar uma pessoa com ansiedade”, “impacto das mudanças climáticas”, “quando vou ser vacinado”, “como manter a saúde mental”, “para onde posso viajar.

O panorama social e de saúde coletiva

Muito se discute sobre quando irá acabar a pandemia ou quanto iremos retornar a “vida normal”, porém o debate sobre retorno as atividades têm como base a vida anterior a todos os eventos ocorridos antes do SARS COV 2, entretanto toda essa mudança já dura aproximadamente 2 anos e muitos pesquisadores estão debatendo sobre o novo normal se perguntando quais hábitos irão perdurar ou quais hábitos antigos não irão retornar. As palavras mais pesquisadas no google mostram uma população mais preocupada com a saúde com acontecimentos globais relativos principalmente a preconceitos antigos, interesse maior pela política global, aquisição de conhecimento sobre plataformas de aprendizagem virtuais, busca pelo mantenimento e auxílio da saúde mental de outros indivíduos, interesse pela sustentabilidade e quais impactos negativos podem causar ao planeta hábitos que desequilibram o ecossistema e outro de destaque seria viajar com segurança. Perante todos esses dados em 2022 e além podemos aguardar uma população mais consciente e engajada em questões de grande relevância da saúde pública e sociais.

Analisando a implicação da pandemia a nível nacional segundo pesquisa realizada pela revista veja, um estudo realizado em abrangência nacional com 1003 consumidores entre 18 e mais de 65 anos, de todas as classes revela que a situação econômica preocupa mais os brasileiros que a saúde que é o segundo motivo de maior preocupação. A saúde dos familiares gera maior inquietação que do próprio indivíduo, os dados mais alarmantes são a extrema preocupação com a economia do país, saúde pessoal e familiar, impacto social e comunitário. A higiene pessoal e da casa também é evidenciada com 71% dos entrevistados relatando maior consciência, costumes como cozinhar mais em casa, visitar menos lojas físicas em troca do consumo on-line estão em alta relevância. Em relação as atividades diárias que antes realizadas de modo costumeiro sem preocupações; Compras em mercado se entrelaça entre não gerar preocupação a gerar alta preocupação, as atividades que são classificadas como desconfortável pelos entrevistados são: ir ao local de trabalho 43% andar em público 44%, ir ao salão de beleza ou spa  58%, ir a um culto religioso  63%, ir ao shopping 67%,  comer em um restaurante 66%, viajar de avião 69%, exercitar em uma academia pública 74%, viajar em transporte público 83%, frequentar ou permitir que seus filhos frequentem a escola 78%.

Transtornos de ordem psicológica

Outro ponto importante que precisa ser relatado são as preocupações psicológicas que o distanciamento social causou, uma grande preocupação é a saúde mental que atingiu todas as faixas etárias desde crianças a idosos e merece todo suporte necessário desde o profissional ao familiar integrando o indivíduo de forma biopsicossocial. Para fins didáticos será dividido em Pré-crise, Intracrise e Pós-crise destaco a importância da compreensão desses conceitos pois no momento da procura pela ajuda profissional o indivíduo pode estar em qualquer uma das etapas.

Pré-crise: É o momento em que o indivíduo recebe a avalanche de informações, no caso estudado COVID-19. Informações principais como a existência do vírus, de como ele se tornou um problema de saúde pública, recomendações sobre o distanciamento social, taxa de mortalidade entre outros. Esse choque de realidade pode desencadear sintomas depressivos, apreensão sobre o futuro, um fator de atenção é sobre o estresse agudo causado que pode gerar dependência de substâncias, aumento do tabagismo etc. 

Intracrise:  Momento em que estão instaladas as medidas de precaução e segurança, e adaptação do sistema de saúde para atender as demandas da população com importantes iniciativas como aberturas de plataformas online para fornecer aconselhamento psicológico para pacientes, familiares que estão em quarentena. Essa medida é de suma importância pois facilita o processo e aumenta a cobertura de famílias atendidas.

Pós-crise: É a fase de reconstrução social, com o declínio do número de novos casos e diminuição da transmissão comunitária, as medidas de distanciamento social são reduzidas e o surto de contaminação tende a estar sob controle. Inicia-se o retorno das atividades habituais, nesse ponto há necessidade de atenção com as sequelas deixadas pelos períodos anteriores sejam eles sintomas depressivos, sintomas de ansiedade etc. é necessário atenção com a população atingida e realizar um tratamento para remissão dos sintomas e auxílio a integração na sociedade.

Conclusão

É incontrovertível que a pandemia de coronavírus alterou muitas dinâmicas social, dentre elas a saúde coletiva, de modo a deixar os cidadãos mais preocupados com o seu bem-estar e a sua suscetibilidade à doenças, além de desordens emocionais incitadas pelo distanciamento social, mudanças nos meios de trabalho, etc.

Autor: Luã de Morais de Lima

Instagram: @luadmdlima

O texto acima é de total responsabilidade do autor e não representa a visão da sanar sobre o assunto

Gostou do artigo? Quer ter o seu artigo no Sanarmed também? Clique no botão abaixo e participe:

Fontes

O que foi mais buscado no Google em 2020? (msn.com)

Consumo e Pandemia: As mudanças de hábitos e padrões de comportamento provocados pelo coronavírus | VEJA (abril.com.br)

Google revela as palavras e assuntos mais buscados em 2021 – Hardware.com.br

SciELO – Brasil – COVID-19 e saúde mental: a emergência do cuidado COVID-19 e saúde mental: a emergência do cuidado

Compartilhe com seus amigos: