Medicina da Família e Comunidade

Confira neste resumo o básico sobre obesidade | Colunistas

Confira neste resumo o básico sobre obesidade | Colunistas

Compartilhar
Imagem de perfil de Milena Abra

Este post reúne o básico sobre obesidade para você entender mais sobre esta doença e o seu manejo!

Resumo obesidade: conceito da doença

A obesidade é o aumento de gordura corporal acima do correspondente ao índice de massa corporal (IMC), sendo seu cálculo baseado no peso dividido pelo quadrado da estatura em metros. Devido ao acúmulo de gordura no organismo, uma vez que, há menor gasto energético quando comparado com a quantidade de calorias dia ingeridas.

Infelizmente é uma doença que vem sofrendo aumento. Vale lembrar que tal doença pode variar e ser tanto assintomática quanto apresentar diversas complicações como:

  • doenças cardiovasculares,
  • hipertensão,
  • diabetes e
  • apneia obstrutiva do sono.

Fatores de risco

  • Efeito colateral de medicamentos
  • Doenças endócrinas: doenças como insulinoma, síndrome de cushing e hipotireoidismo
  • Doenças genéticas
  • Idade  ≥40 anos
  • Taxa metabólica basal baixa
  • Baixo nível de atividade física
  • Socioculturais e psicossociais

Resumo obesidade: como é o diagnóstico?

Principais fatores para diagnóstico

  • altura
  • peso
  • circunferência da cintura

Exames mais importantes para detectar

  • Colesterol total e frações
  • Glicemia em jejum
  • TSH

Resumo obesidade: quais são os tratamento?

Vale lembrar que esta comorbidade deve ser considerada uma doença que exige tratamento para toda vida, além de que, é um tratamento longo e complexo e deve ser bem explicado e estabelecido para pacientes.

Deve ser feito pelo profissional o cálculo do metabolismo basal e o gasto calórico diário de acordo com as atividades habituais e exercícios físicos.

Há tanto tratamentos não farmacológicos quanto farmacológicos, o que define o tratamento é a idade, força de vontade e nível de obesidade que o paciente possui, além da opção cirúrgica.

Não farmacológico

Consiste em basicamente o que todos devem fazer, levar uma vida mais saudável, se alimentar de forma mais adequada, evitando industrializados e fast-foods e optando com frutas, legumes e verduras, comer a quantidade correta de macronutrientes e micronutrientes, além de claro associar a prática de atividades físicas.

A constância é sempre o segredo de bons resultados, uma reeducação alimentar com acompanhamento de nutricionistas e nutrólogos é fundamental para estes pacientes, e são indivíduos que precisam de um suporte familiar, se sentirem acolhidos e não julgados.

Farmacológicos

O uso de medicação é feita para indivíduos com IMC >30 ou >27 quando se tem alguma comorbidades importantes associadas.

Atualmente apenas duas medicações são comercializadas no Brasil, sendo a Sibutramina e Orlistat. Lembre-se que a medicação é apenas para auxiliar no tratamento, a mudança de estilo de vida deve ser feita.

Cirúrgico

Existem diversos procedimentos que reduzem a capacidade gástrica, sendo o mais comum a cirurgia bariátrica. A indicação é feita por uma equipe multiprofissional composta por clínico, cirurgião, enfermeira, psicólogo, nutricionista e assistente social; a indicação são para pacientes acima de 18 anos com obesidade mórbida (IMC >40) há mais de 5 anos e tendo feito tratamento clínico sem sucesso por pelo menos 2 anos.

É de fundamental importância que todos os riscos e complicações tardias sejam esclarecidos ao paciente e ressaltar que a mudança alimentar deve ser feita, pois, mesmo após a cirurgia pode ser ingerido alimentos de alto valor calórico.

Profilaxia

Por ser uma doença que pode afetar todos os sistemas, podendo trazer doenças crônicas como diabetes e hipertensão, afetando totalmente a qualidade de vida e expectativa de vida é de suma importância que seja feita a profilaxia, evitando riscos para a saúde do indivíduo, além de ser uma patologia que pode afetar a saúde mental.

É importante ter uma boa alimentação desde a infância, os pais devem seguir as orientações médicas e fazer a introdução alimentar de forma correta, especialmente evitando doces até os dois anos de idade, dados mostram que entre 40 a 80% das crianças obesas serão adultos obesos e isso é muito preocupante.

Deve-se fazer a vigilância do peso, conforme vamos envelhecendo há uma queda no metabolismo basal, assim o risco de ganho de peso consequentemente aumenta, sendo assim, é importante que cada um saiba o seu peso ideal e controle isso.

Pode ser feito programas coletivos para orientar a população e propagar entre a comunidade a boa alimentação, os benefícios que esta trás para a vida assim como as atividades físicas, incentivar os esportes e brincadeiras ativas entre as crianças.

Diagnósticos diferenciais

  • Hipotireoidismo primário
  • Hipotireoidismo central
  • Síndrome de cushing

O texto acima é de total responsabilidade do autor e não representa a visão da sanar sobre o assunto.

Referências para fazer o resumo sobre obesidade

Sugestão de leitura