Coronavírus

Os 15 tratamentos para Covid-19 mais comentados

Os 15 tratamentos para Covid-19 mais comentados

Compartilhar

Sanar Medicina

8 min há 399 dias

Médicos, cientistas e pesquisadores enfrentam uma luta diária para encontrar eficazes tratamentos para Covid-19. Sem dúvida, a pandemia é o maior desafio para a medicina moderna neste século.

Nesta matéria, fizemos uma listagem dos 20 dos tratamentos que estão mais em alta contra o novo Coronavírus. Entretanto, alertamos que, a maior parte deles ainda está nos estágios iniciais de pesquisa e sem comprovação de eficácia científica. 

Até mesmo os tratamentos que podemos chamar de mais promissores até o momento só demonstraram eficácia em determinados grupos de pacientes e aguardam a validação através de ensaios clínicos randomizados em grande escala.

Vamos a lista dos 15 tratamentos mais utilizados para a Covid-19:

1. Remdesivir

O Remdesivir foi o primeiro medicamento a obter autorização de emergência do FDA, a agência federal do Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos, para uso no tratamento da Covid-19. 

Dados preliminares de testes sugeriram que o medicamento pode reduzir o tempo de recuperação de pessoas hospitalizadas com Covid-19 de 15 para 11 dias. Entretanto, os resultados iniciais não mostraram qualquer efeito relacionado com a redução da mortalidade, embora dados retrospectivos divulgados em julho indiquem que o medicamento pode reduzir as taxas de mortalidade entre nos pacientes em estado grave.

2. Favipiravir

O medicamento atua no bloqueio da capacidade do vírus de copiar seu material genético. Um estudo realizado no mês de março e publicado no portal ScienceDirect indicou que a droga uma eliminação viral mais rápida e melhor alteração na imagem do tórax dos pacientes.

3. MK-4482 

O MK-4482 (conhecido como EIDD-2801 anteriomente) apresentou resultados promissores contra a covid-19 em estudos em células e em animais.

4. ACE-2 Recombinante

Para conseguir entrar nas células, o novo Coronavírus deve primeiro desbloqueá-las – uma façanha que realiza ao se prender a uma proteína humana chamada ACE-2. 

A partir disso, os cientistas criaram proteínas ACE-2 artificiais que atuam como iscas, atraindo o coronavírus para longe das células vulneráveis. As proteínas ACE-2 recombinantes mostraram resultados promissores em experimentos com células. Entretanto, ainda não foram testadas em animais ou pessoas.

5. Ivermectina

Em abril, pesquisadores australianos relataram que a Ivermectina bloqueou os vírus responsáveis pela Covid-19 em culturas de células, mas eles usaram uma dosagem muito alta para isso. O que pode ter efeitos colaterais perigosos em seres humanos.

Por conta disso, o FDA emitiu um aviso contra tomar medicamentos para animais de estimação na prevenção ou tratamento para Covid-19. Desde então, vários ensaios clínicos foram lançados para verificar se uma dose segura de ivermectina pode combater o Covid-19, mas ainda não há evidências firmes de que a droga funciona.

6. Lopinavir e Ritonavir

Pesquisadores os testaram a combinação de drogas no novo Coronavírus e descobriram que eles impediram a replicação do vírus. Contudo, os ensaios clínicos em pacientes foram decepcionantes. 

Em julho, a Organização Mundial da Saúde suspendeu os testes em pacientes hospitalizados para Covid-19. Mas, não descartaram estudos para ver se os medicamentos poderiam ajudar pacientes em estado leve ou moderado fossem hospitalizados ou ainda para evitar que pessoas ficassem doentes com o vírus.

7. Hidroxicloroquina e Cloroquina

Logo no início da pandemia da Covid-19, pesquisadores revelaram que ambas as drogas poderiam impedir o novo Coronavírus de se replicar nas células. Entretanto, estudos mais detalhados se mostraram decepcionantes. 

Ensaios clínicos randomizados descobriram que Hidroxicloroquina não ajudou as pessoas com Covid-19 a melhorar nem impediu que pessoas saudáveis ​​contraíssem o coronavírus. Outro ensaio clínico randomizado descobriu que dar hidroxicloroquina às pessoas logo após serem diagnosticadas com Covid-19 não reduziu a gravidade da doença. 

Com isso, a Organização Mundial da Saúde e instituições internacionais de saúde suspenderam os ensaios que investigavam a droga como tratamento para Covid-19, e o FDA revogou seu aprovação de emergência.

8. Plasma convalescente

Cerca de um século atrás, os médicos filtraram plasma do sangue de pacientes com gripe recuperados. O chamado plasma convalescente, rico em anticorpos, ajudava as pessoas com gripe a lutar contra a doença. Neste momento, os pesquisadores estão testando a mesma estratégia no combate à Covid-19.

9. Anticorpos monoclonais

O plasma convalescente de pacientes recuperados da Covid-19 contém uma mistura de diferentes anticorpos. Uma parte dessas moléculas, apontam os cientistas, podem atacar o coronavírus, mas muitas são direcionadas a outros patógenos. 

Com isso, os pesquisadores passaram a analisar essa pasta para encontrar os anticorpos mais potentes contra Covid-19. Em seguida, eles fabricaram cópias sintéticas dessas moléculas, conhecidas como anticorpos monoclonais.

Dezenas de anticorpos monoclonais encontrados apresentaram resultados promissores contra Covid-19 em estudos pré-clínico. Agora, empresas e universidades estão desenvolvendo testes clínicos. 

10. Interferons

Os interferões são moléculas que as nossas células produzem naturalmente em resposta aos vírus. Eles têm efeitos profundos no sistema imunológico, estimulando-o a atacar os invasores e também controlar danos nos próprios tecidos do corpo.

Cientistas descobriram que o coronavírus parece conter a ação do interferon. Com isso, os pesquisadores estudam se um aumento de interferon pode ajudar as pessoas a resistirem mais à Covid-19, especialmente no início da infecção. Estudos iniciais produziram resultados satisfatórios que levaram a ensaios clínicos.

11. Dexametasona

A droga contou com um estudo divulgado no New England Journal of Medicine revelando que ela reduziu as mortes em um terço em pacientes em ventiladores e em um quinto em pacientes em oxigênio. 

Entretanto, é menos provável que ajude pacientes em estágios iniciais da infecção por Covid-19. Em suas diretrizes de tratamento para Covid-19, o National Institutes of Health recomenda usando apenas dexametasona em pacientes com COVID-19 que estejam em um ventilador ou recebendo oxigênio suplementar.

12. Inibidores de citocinas

Vários desses medicamentos inibidores de citocinas ofereceram ajuda moderada em algumas provações, mas pouco eficiente em outros casos. Muitos estudos ainda estão em andamento, vários dos quais combinam inibidores de citocinas com outros tratamentos.

13. Sistemas de filtragem de sangue

O FDA concedeu autorização de uso emergencial para dispositivos que filtram citocinas do sangue na tentativa de esfriar tempestades de citocinas. Uma série de estudos sobre sistemas de filtração de sangue estão em andamento no momento, mas cientistas alertam que esses dispositivos podem apresentar riscos.

14. Células-tronco

Alguns tipos de células-tronco podem secretar moléculas anti-inflamatórias. No momento, dezenas de testes clínicos estão em andamento para ver se eles podem ajudar os pacientes com Covid-19. 

15. Posicionamento prono

Simplesmente virar os pacientes com Covid-19 de barriga para baixo ajuda a abrir os pulmões. A manobra se tornou comum em hospitais de todo o mundo desde o início da pandemia. Isso pode evitar totalmente a necessidade de ventiladores. Vale destacar que os benefícios deste tratamento para covid-19 seguem sendo testados em ensaios clínicos.

Confira o vídeo:

Posts relacionados:

Compartilhe com seus amigos:
Política de Privacidade © Copyright, Todos os direitos reservados.