Colunistas

Os animais domésticos transmitem a Covid? | Colunistas

Os animais domésticos transmitem a Covid? | Colunistas

Compartilhar

Lucas Infante

7 min há 238 dias

A família dos Coronavírus (CoV) é conhecida por causar diversas zoonoses, responsáveis por diversos surtos ao longo dos últimos anos, como a SARS (2002) e a MERS (2012). Por ser uma doença originária de outros animais (zoonose), a dúvida que muitos têm é: os animais domésticos transmitem de alguma forma a Covid-19?

Origem da Covid

É importante você saber que a origem da Covid-19 ainda não é certa. Muito do que se diz hoje sobre o surgimento da doença é a partir do conhecimento que se tem sobre as outras doenças já causadas por essa família de vírus e pelo local em que foi notificado o primeiro caso.

Portanto, imagina-se que os vírus foram originados de morcegos, como os responsáveis pelo SARS e MERS, sendo transmitidos para pangolins, funcionando como reservatórios intermediários. Após mutações sofridas, os vírus conseguiram infectar os humanos e hoje se mantêm através da transmissão entre humanos. Essa hipótese de surgimento se sustenta também no fato dos primeiros casos notificados terem sido em Wuhan, na china, após a exposição no mercado de animais da cidade.

Os animais domésticos podem ter Covid?

Falando somente sobre os animais domésticos comuns, como gatos, cachorros e pequenos roedores, como os hamsters, a resposta para a pergunta é: SIM. Como foi dito, os vírus se originaram de outros animais, e as características em comum que os humanos têm com outros animais tornam possíveis que eles sejam infectados pela doença, principalmente devido a um receptor em comum que existe nas células animais, o ACE2.

Porém, aqui entram algumas questões. Em primeiro lugar, os cachorros são os que aparentam ter menos resposta à doença, ou seja, além de não apresentarem sintomas, o vírus se multiplica muito pouco dentro do seu corpo. Já os gatos e hamsters, além de poderem ser infectados, têm uma replicação viral maior em seu corpo. Em segundo lugar, é importante lembrar que a doença ainda é muito nova e não se sabe ao certo até que ponto esses animais ficam doentes (se podem ter sintomas e chegar a morrer pela doença), já que os relatos, mesmo comprovados, ainda foram poucos e assintomáticos.

Cachorros, gatos e hamsters podem transmitir a doença?

Se você quer saber se um desses animais pode ficar doente e transmitir para um ser humano, os estudos indicam que NÃO. Mesmo eles tendo a multiplicação do vírus em seus corpos, a transmissão para humanos ainda não foi encontrada em vários experimentos já feitos. Por enquanto, somente está comprovada a transmissão de humanos para animais domésticos.

Mas é importante saber que, embora não tenha transmissão para humanos, esses mesmos estudos descobriram que os animais podem transmitir entre si a doença, principalmente os gatos e hamsters. Mesmo não apresentando sintomas, conseguem infectar outros da mesma espécie, principalmente pelas secreções respiratórias, saliva e fezes.

E outros animais domesticados?

O ser humano acabou domesticando outros animais ao longo do tempo, que antes eram considerados selvagens. Eles podem ficar doentes e transmitir a doença? Depende do animal.

Enquanto furões são muito suscetíveis a Covid-19, podendo transmitir entre si, outros animais como porcos e pássaros se mostraram imunes ao vírus. Assim [Pacheco1] como camelos (que foram uma das fontes de transmissão do MERS), ovelhas, cavalos e vacas também não apresentaram suscetibilidade ao vírus.

Já a transmissão para humanos só foi comprovada uma vez. Aconteceu na Holanda, em uma fazenda de visons (animais parentes dos furões). Um funcionário acabou contaminado com a Covid-19, depois de um vison ter contraído o vírus. O animal foi assintomático, e o estudo indicou que ele pode servir como um reservatório intermediário para o vírus.

O que fazer com os animais domésticos?

Mesmo não transmitindo para humanos e sendo assintomáticos, devem ser tomados cuidados especiais com os animais, principalmente para evitar problemas futuros. Deve ser evitado o contato com outros durante esse período, principalmente os animais que moram nas ruas. Lembre-se que as fezes apresentam vírus, então é importante sempre recolher após os animais terem feito, e evitar que o seu animal fique entrando em contato com as fezes de outros na rua.

Também é necessário que você tome as medidas de proteção já divulgadas, como uso de máscara, distanciamento social e medidas de higiene, para que não tenha a doença e venha a transmitir para seu animal doméstico. Importante também evitar contato com os animais após você ter a suspeita que tenha ficado doente, somente fazendo o que for necessário para ele.

Existe vacina da Covid para animais?

Os coronavírus são vírus que infectam animais há muito tempo, causando várias doenças sérias. Por esse motivo, várias vacinas já foram criadas para que eles sejam protegidos, com eficácia variando em cada animal, porém nenhuma vacina específica para o novo coronavírus.

Não existe uma perspectiva para criação de uma nova vacina para os animais domésticos, uma vez que a doença acaba não apresentando risco para eles, e a sua origem ainda não está bem definida. O foco hoje é a criação de uma vacina para humanos, evitando a transmissão humano-humano, que é a grande forma de propagação da Covid-19.

Conclusão

Os coronavírus são zoonoses de grande importância no contexto mundial. Embora a origem dos vírus seja de fontes animais, a transmissão da doença de gatos, cachorros e pequenos roedores para humanos não é comprovada. Mas é importante lembrar que os animais podem transmitir entre si a doença, assim precisando que sejam tomados cuidados para que não entrem em contato com outros animais ou secreções. Essas medidas são fundamentais para que possíveis consequências futuras não venham a surgir. Deve-se lembrar que a ciência está em constante evolução e todo conhecimento está sujeito a mudanças.

O texto acima é de total responsabilidade do autor e não representa a visão da sanar sobre o assunto

Gostou do artigo? Quer ter o seu artigo no Sanarmed também? Clique no botão abaixo e participe

Referências

KIROS, Mulugeta; ANDUALEM, Henok; KIROS, Teklehaimanot; et al. COVID-19 pandemic: current knowledge about the role of pets and other animals in disease transmission. Virology Journal, v. 17, 2020. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC7530550/>. Acesso em: 12 fev. 2021.

LEROY, Eric M.; AR GOUILH, Meriadeg; BRUGÈRE-PICOUX, Jeanne. The risk of SARS-CoV-2 transmission to pets and other wild and domestic animals strongly mandates a one-health strategy to control the COVID-19 pandemic. One Health, v. 10, p. 100133, 2020. Disponível em: < https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC7194722/>. Acesso em: 12 fev. 2021.

SHI, Jianzhong; WEN, Zhiyuan; ZHONG, Gongxun; et al. Susceptibility of ferrets, cats, dogs, and other domesticated animals to SARS–coronavirus 2. Science (New York, N.y.), v. 368, n. 6494, p. 1016–1020, 2020. Disponível em : < https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC7164390/>. Acesso em: 12 fev. 2021.

TIZARD, Ian R. Vaccination against coronaviruses in domestic animals. Vaccine, v. 38, n. 33, p. 5123–5130, 2020. Disponível em : < https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC7284272/>. Acesso em: 12 fev. 2021.

Compartilhe com seus amigos:
Política de Privacidade © Copyright, Todos os direitos reservados.