Coronavírus

Os impactos da pandemia da COVID-19 na população pediátrica

Os impactos da pandemia da COVID-19 na população pediátrica

Compartilhar

Sanar Medicina

5 min17 days ago

A maioria dos discursos e publicações científicas discutem o impacto da pandemia da COVID-19 na população adulta, em níveis econômicos e da saúde. Porém os impactos na população pediátrica existem, e só serão sentidos com maior peso anos à frente.

O Dr. Dimitri, da Universidade de Washington, publicou artigo no JAMA Pediatrics discutindo o tema, e pretendemos abordá-lo aqui neste post.

O que as crianças possivelmente não lembrarão

Talvez o aspecto mais marcante para os adultos será o menos lembrado pelas crianças de hoje no futuro. Menos de 6%, apenas, do total de casos da COVID-19 ocorreram em crianças. Mesmo essa baixa porcentagem foi caracterizada, na sua maioria, por sintomas leves.

Podemos então supor que o adoecer pela COVID-19 não tenha sido tão impactante para as crianças, e provavelmente não será lembrado no futuro como algo marcante.

A explicação científica para o menor acometimento da população pediátrica ainda não existe. Porém, há uma possível especulações: o receptor utilizado pelo vírus SARS-CoV-2 para adentrar o epitélio respiratório (ACE2) possui expressão maior a depender da idade do indivíduo.

Sendo assim, as crianças teriam menor susceptibilidade por terem menor expressão do receptor ACE2.

O maior risco para as crianças, no contexto da infecção pelo novo coronavírus, é a chamada Síndrome inflamatória multissistêmica pediátrica (MIS-C). Pouco se sabe sobre a condição, mas esta consiste em condição inflamatória pós-infecciosa rara, que pode causar complicações graves, mas dificilmente leva ao óbito.

Os efeitos indiretos da pandemia da COVID-19 na população pediátrica

Fora o acometimento na saúde da população pediátrica, os efeitos que a infecção causará nas crianças têm caráter indireto, alguns sendo já sentidos e outros ainda por se manifestar. Por serem indiretos, há a chance dos futuros adultos não os ligarem à sua vivência como crianças na atual pandemia.

Efeitos psicológicos

Vamos começar tratando dos recém nascidos. Será que já paramos para pensar nos efeitos produzidos pelo afastamento temporário que sofreram de suas mães após o nascimento, devido preocupação de transmissão vertical?

Esse afastamento pode afetar negativamente tanto a ligação mãe-filho, como também o processo de amamentação. Ambas condições importantíssimas para o desenvolvimento saudável.

A associação entre pais estressados e mudanças na liberação de cortisol e na estrutura cerebral das crianças já está estabelecida. Ora, durante a pandemia muitas crianças estiveram, durante anos cruciais de sua formação, expostas a pais mais estressados psicologicamente e vulneráveis financeiramente.

Há ainda a perda que muitas delas viveram, com pais, avós e tios indo à óbito, numa idade em que elas não podiam compreender e viver adequadamente a situação, mas certamente sentirão falta destes entes no futuro.

Impactos na educação

As crianças poderão até lembrar do seu momento de aprendizado à distância, mas talvez não perceberão o impacto que essa mudança tão drástica teve no seu processo educacional.

Dado o déficit inerente do ensino à distância, muitas crianças podem estar perdendo, durante etapa crucial de construção de blocos de conhecimento, o que seria a base para o seguimento do seu aprendizado no futuro.

Quantos adultos no futuro lembrarão que, possivelmente, as consequências da educação deficiente neste período impactou-os tanto psicológica quanto financeiramente, por prejudicar sua formação acadêmica?

Dados de crianças residentes em Wuhan, na China, mostraram aumento de depressão e ansiedade nesta população durante o período de lockdown. Será que conseguiremos perceber por quanto tempo as crianças serão afetadas por isto? E quais serão as sequelas que carregarão?

Para citar um aspecto, sabe-se que, antes mesmo da pandemia, o vício nas telas já era preocupação crescente. Qual será, portanto, o impacto da mudança que forçou as crianças a obterem seu aprendizado e convívio social quase que exclusivamente pelos meios eletrônicos?

Conclusão sobre os impactos da covid-19 na população pediátrica

Vimos aqui os diversos impactos indiretos que a pandemia trouxe à população pediátrica. Por quanto tempo estes efeitos durarão e como afetarão o futuro destas crianças, é algo que ainda não podemos responder, mas certamente é digno de nossa atenção.

Infelizmente, a maioria dos impactos aqui citados serão mais sentidos e terão maior peso naquelas crianças em desvantagens sociais e econômicas. Suas famílias foram afetadas de maneira desproporcional, e o impacto na população pediátrica aumentará ainda mais a desigualdade existente.

O Dr. Dimitri cita, no seu artigo, um mantra repetido em seu laboratório: “se você muda o começo, você muda a história inteira”. Logo em seguida, ele faz a aplicação: “a pandemia da COVID-19 já mudou o começo para milhões de crianças”.  

Posts relacionados:

Compartilhe com seus amigos:
Política de Privacidade. © Copyright, Todos os direitos reservados.