Residência Médica

Passei na residência médica, e agora? Dicas para se destacar

Passei na residência médica, e agora? Dicas para se destacar

Compartilhar
Imagem de perfil de Sanar Residência Médica

Receber um resultado positivo no processo seletivo de residência médica é mesmo um presentão. Agora, você deve estar sentindo aquela sensação gostosa de “dever cumprido”. Todo o esforço com os estudos (assistindo aula, lendo apostila, respondendo questões e fazendo simulado, etc) valeu a pena.

Passado o momento de euforia, é normal também se preocupar com o como vai ser a rotina. E também buscar formas de se destacar durante todo o programa. Afinal, assim você potencializa sua formação.

Vai começar o programa, e agora?

Para te ajudar a arrasar na residência desde o primeiro dia, conversamos com o Dr. Ricardo Zantieff  que é professor de cirurgia geral e coordenador pedagógico da Sanar, e reunimos dicas valiosas. 

Ao ser questionado sobre sua experiência como residente, Ricardo Zantieff lembrou que foi um mix de emoções.

“A residência é amor e ódio ao mesmo tempo. Vai ser um momento incrível, muito intenso, com MUITO aprendizado e muita vivência. Imagine aí, você ficar 60 horas por semana durante 3 anos focado em aprender alguma coisa? O volume de conteúdo e a bagagem que você ganha é surreal. Ao mesmo tempo vai ser péssimo com um carga horária bem puxada e relações interpessoais nada saudáveis”, conta o médico. 

Residência médica: é preciso estar preparado para tudo

“O formato que as residências médicas são organizadas foi criado há 2 séculos atrás e nunca teve uma revisão muito grande. Então, o formato de ensino e até o que se espera do residente constantemente entra em choque com os valores da gerações atuais”, explica Zantieff. 

O médico ainda exemplifica a necessidade de “se preparar para tudo”: “Vai ter preceptor/staff te dando bronca sem você entender o motivo. Vai ter outros profissionais te colocando para fazer funções extras que eram para ser deles, enfim… Acho que você entendeu a mensagem”.

“Existe um processo lento de mudança, mas aceite que enquanto residente você não vai mudar o mundo, aceite como as coisas são e faça seu melhor dentro disso.

Durante a residência, você pode até passar por momentos meio para baixo, mas eu te dou certeza que quando terminar você vai olhar para trás com gratidão e até saudosismo, porque de fato, é um momento transformador”, acrescenta. 

Comportamentos que fazem a diferença na residência médica  

O coordenador pedagógico da Sanar alerta que o primeiro passo para o sucesso durante o programa de residência é entender o que você vai enfrentar pela frente. 

“Agora, uma qualidade que faz a diferença na residência é a dedicação. Um residente focado, proativo com as atividades não só aprende muito mais, mas se destaca e se diferencia dos colegas”, indica. 

Há um vilão na rotina do residente? 

O Dr. Zantieff conta que muitas pessoas vão dizer que é uma carga horária extensa, mas ele atribui o papel de vilão para outro quesito. “A carga horária é pesada, não nego. Até excessiva às vezes, mas nada se compara a frustração que você vai ter se não estiver dedicado e entendendo qual o seu papel como residente”, explica. 

“Você pode ficar reclamando que só tem burocracia para fazer, que preferia estar operando (mas no final ainda vai ter que fazer a burocracia) ou você pode aceitar e fazer. É uma atividade de imersão, então se você não se dedicar, não se entregar para a experiência você vai ficar mais chateado ainda com as coisas negativas e não vai aproveitar as coisas positivas”, acrescenta. 

O médico ainda fez um alerta: “se ficar com a cabeça em outro lugar, querendo ir embora o mais rápido possível as coisas só vão ficar pior”. 

Como ser um(a) residente bem-sucedido(a)? 

A gente sabe que nada na vida é como uma receita de bolo. Não tem como ter absoluta certeza de que fazendo x ou y passo a passo conquistaremos todos os nossos objetivos. Mas quando falamos em ser bem-sucedido durante o programa, com certeza tem atitudes que fazem toda a diferença. 

O Dr. Zantieff elencou o que chamamos de top 3 do sucesso para aproveitar ao máximo o período como residente. Confira: 

Curiosidade potencializa sua residência

A curiosidade é a mãe da inteligência. Seja curioso sobre tudo, queira saber tudo. Em uma residência, tudo é uma oportunidade de aprendizado, não tenha medo de perguntar. Exemplo de questionamentos pertinentes:

  • Por que aquele exame está alterado?
  • Qual o motivo de termos tomado essa conduta?
  • O que levou esse paciente a evoluir mal?

Disciplina na residência médica é o básico

“Seja disciplinado com seus horários, com seu estudo e com suas condutas médicas. Eu sei que dá preguiça de atender um paciente de madrugada, mas não tem jeito, tem que fazer e fazer o necessário. E pelo amor de deus, chegue no horário. Isso é o básico da disciplina. Se atrasar é desrespeito com seus pacientes e seus colegas de plantão. Sem falar que você pode tomar uma bela bronca por um motivo besta”.

Proatividade

“Seja proativo para ajudar os outros e, principalmente, os seus pacientes. Seja inquieto com as coisas. Por exemplo, se tem um paciente internado precisando de um exame que você já solicitou no sistema, não é só sentar e esperar. Corra atrás, ligue na radiologia, pergunte quando vai ser, se não tem como fazer logo. Outra coisa não fique sentado esperando o laudo, vá discutir a imagem com o radiologista, assim você aprende mais e agiliza as coisas”. 

Posts relacionados