Perguntas frequentes sobre Residência Médica

Perguntas frequentes sobre Residência Médica

Compartilhar

Sanar Residência Médica

12 min420 days ago

Índice

Residência Médica é uma modalidade de ensino de pós-graduação destinada a médicos, sob a forma de curso de especialização.

Funcionando em instituições de saúde como hospitais-escola, os pós-graduandos realizam atividades profissionais remuneradas sob a orientação de médicos especialistas.

Muitos médicos ainda têm diversas dúvidas sobre a Residência Médica (a entrada, remuneração, rotina…), por isto nesta matéria nós respondemos as dúvidas mais frequentes.
Vamos lá!

Eu posso optar por não fazer a Residência? Ou eu preciso fazer para exercer a medicina?

Não é obrigatório! Faz Residência quem quer se especializar. Caso não faça a Residência, você não pode se declarar especialista. Veja:

É vedado ao médico: Anunciar títulos científicos que não possa comprovar e especialidade ou área de atuação para a qual não esteja qualificado e registrado no Conselho Regional de Medicina.

Código de Ética Médic – Art. 115.

Na prática, se você quer avançar na sua carreira, tornar-se especialista é o que te diferencia no mercado.

Ao concluir a Residência você sempre tem que fazer prova da sociedade para ter o título de especialista?

O título de especialista não é obrigatório para você ter o registro de especialista no conselho de medicina. Existem duas maneiras de se obter o registro como especialista.

Uma delas é por meio de concurso ou avaliação da respectiva Sociedade de Especialidade Médica, realizada após o profissional ter concluído um curso, estágio ou outra forma de capacitação.

O médico também pode ser titulado como especialista após frequentar um programa de Residência Médica reconhecido pelo MEC.

Saiba mais sobre a prova de título.

A prova de Residência é de múltipla escolha ou discursiva?

Depende. Existem provas de múltipla escolha e outras discursivas. As questões discursivas geralmente aparecem na segunda fase (como é o caso da prova da FMUSP).

Há possibilidade de fazer plantões por fora?

A bolsa de residência médica (de R$ 3.330,43) é a única remuneração prevista durante o programa, e o CNRM proíbe o plantão de sobreaviso para Médicos Residentes no âmbito da Residência Médica (segundo a resolução nº4 de 2010).

Art. 1º O plantão presencial do Médico Residente sob supervisão de preceptor capacitado é a única modalidade de plantão reconhecida pela Comissão Nacional de Residência Médica.

Art. 2º Consideram-se irregulares, no âmbito do programa de residência médica, outras modalidades de plantão, incluindo os de sobreaviso, a distância, acompanhados ou não por preceptores.

RESOLUÇÃO CNRM Nº 4, DE 12 DE JULHO DE 2010

No entanto, apesar da proibição, é muito frequente encontrar residentes trabalhando em plantões externos à residência, em plantões de Unidade de Pronto Atendimento (UPAs) e outros prontos-atendimentos para pagar contas, usando o tempo livre, que seria de descanso, em mais horas trabalhadas .

Leia mais: Bolsa de Residência Médica: tudo o que você precisa saber.

Vale a pena fazer a Residência depois dos 30 anos?

Vale a pena fazer Residência Médica, independente da sua idade. Lógico que essa decisão depende das suas pretensões de carreira e do seu propósito de vida.⠀

A longo prazo compensa financeiramente para quem faz Residência. No entanto tem muita gente que precisa de renda no curto prazo e acaba optando por trabalhar logo após a faculdade, e até tentar outras formas de melhorar a carreira, como a pós-graduação.⠀

Mas se o seu sonho é fazer a Residência, se joga! Sempre dá tempo.

Tenho medo de largar tudo e ir para um lugar de referência, mas onde não conheço ninguém…

Não tenha medo de ir para um lugar de referência e que você não conheça ninguém. Na Residência Médica a sua rede de contatos explode. É lá que nascem as maiores conexões profissionais e maiores oportunidades de novos empregos.

É mais vantajoso fazer Residência Médica no hospital escola da sua faculdade, onde você já está acostumado?

Não há grande vantagem em fazer Residência onde você já está acostumado (exceto se o lugar for muito bom, né?). Sair da zona de conforto, conhecer outros serviços e realidades enriquece você profissionalmente e pessoalmente. Aproveite para viver essa experiência.

Qual o impacto entre fazer Residência ou especialização no mercado de trabalho?

O mercado de trabalho ainda vê com algumas ressalvas a pós-graduação – a depender do local, da especialidade, e da instituição.

Se você fez uma pós-graduação em Dermatologia, por exemplo, e vai trabalhar em consultório próprio, provavelmente não será “julgado” por ter feito pós-graduação ao invés de Residência. Mas caso queira trabalhar em um grande hospital como Cardiologista, terá que fazer uma Residência, pois as grandes instituições cobram isso.

Leia mais: E agora, Residência Médica ou especialização?

Compensa para quem faz o Curso de Residência Extensivo e vai prestar prova em novembro, fazer o Intensivo também?

O curso Intensivo vale a pena se você estiver atrasado ou caso queira para o momento de revisão – após já ter estudado o conteúdo. No Intensivo as aulas são mais focadas. É o seu caso? Então vale a pena sim!

Existe licença maternidade na residência? É possível ter filhos durante a residência?

Leia mais: É possível ter filhos durante a Residência Médica?

Queria muito ser Neurologista, porém a Anestesiologia me fascina! Alguma Residência que una as duas?

Sim. Você pode fazer Neurologia e se sub-especializar em dor crônica, que tal?

Quais os melhores locais para Residência Médica em Neonatologia?

Não existe muito essa de qual o melhor lugar para especialidade x,y,z. O que existe são grandes instituições e onde podemos ter mais recursos e quais são esses recursos necessários ao aprendizado:

  • presença de staff de alta qualidade e comprometidos com ensino,
  • número de leitos,
  • casos graves e raros para otimizar o aprendizado,
  • tecnologia e equipamentos,
  • recursos de imagem e exames.

Vale a pena tentar conversar com alguém para saber como é a Residência no hospital x,y,z.

É melhor entrar na Residência com mais experiência prática ou entrar direto do internato?

O melhor é passar logo direto do internato. Não faz muita diferença ter trabalhado um ou dois anos, exceto se isso for um plano para fazer uma grana extra.

É bom fazer num hospital exclusivo da especialidade? Ou melhor um que tenha também outras especialidades?

É melhor fazer residência em hospitais gerais para ver a especialidade como um todo dentro das demais áreas e com menos vieses. Melhor ainda quando você tem rodízios em hospitais gerais e específicos da sua área, pois a formação fica ainda mais rica.

Como que é a entrevista? Fazem perguntas orais e tentam achar alguma irregularidade nos candidatos a residente?

No geral são perguntas ligadas à escolha da especialidade (leia e pense muito sobre a sua formação!).

As pontuações das entrevistas não são discrepantes – até para evitar processos judiciais que questionem o a seleção dos candidatos. O importante mesmo é focar na prova.

Qual a real vantagem prática de uma Residência em instituição renomada?

Ao estudar em uma ‘instituição renomada’ você tem a vantagem do currículo eterno (você fez Residência lá e isso ninguém tira). Você também tem uma boa rede de contatos: geralmente os chefes dessas Residências chefiam outros locais de trabalho excelentes.

Você terá inúmeras oportunidades de pesquisa e de doutorado, e claro, a excelência do aprendizado e o alto nível dos staff e colegas. Nem sempre o nome garante a qualidade, mas a chance é maior em grandes instituições. ⠀

Quais hospitais são bons para escolher pela prova SUS-SP para a Residência de Clínica, Cirurgia e Psiquiatria?

Bons hospitais do SUS dependem muito da especialidade. A melhor forma de escolher é mirar nos maiores. Não são necessariamente os melhores, mas tendem a ser muito bons pela diversidade de pacientes, casos, número de profissionais e equipamentos. Dá pra sobreviver com bolsa? Dá pra dar plantão durante a Residência?

Nem sempre da para sobreviver com a bolsa (depende muito da cidade claro). Muitos fazem plantão fora, embora isso não seja legal, já que a Residência é dedicação exclusiva. Quanto mais plantões você dá, menos tempo tem de se dedicar aos estudos e a carga horária pesada da Residência.

Residência Médica é melhor em hospitais escola?

A Residência tende a ser melhor em hospitais escola pela complexidade dos pacientes, e pelo comprometimento do staff com o ensino.

Ter feito estágio optativo na área que você vai prestar ajuda no currículo?

A pontuação do currículo diferencia muito pouco, quase nada.

Tem algum “privilégio” em fazer Residência num hospital que você já almeja trabalhar para conseguir emprego?

Alguns hospitais facilitam para quem foi ex-residente de lá, principalmente os privados. Isso ocorre pois você tem a oportunidade de mostrar seu trabalho junto com os chefes da Residência.

Os hospitais públicos fazem a contratação via concurso, então não muda muito ter feito Residência por lá.

Qual a carga horária de Anestesiologia?

A carga horária teórica de todas as residências é de 60 horas semanais.

Leia mais: Anestesiologia: Conhecendo as especialidades

Como é a Residência Médica em Patologia?

Patologia é uma Residência interessante. Os residentes vêem casos e fazem diagnósticos de anatomia patológica. Os estudos vão evoluindo das patologias mais simples para as mais complexas.

Leia mais: “Como Escolher a sua Residência Médica” (o capítulo 25 – Patologia).

Quero entender melhor a rotina do Residente de Dermatologia

R1 e R2: Rodízio de clínica sempre focando nas especialidades que estão associadas às lesões de pele (reumatologia e infectologia, por exemplo).

R3: são dois anos dedicados à dermato com rodízios específicos de várias doenças (patologia, estética, biópsia, dermato geral, acne, etc).

Leia mais: “Como Escolher a sua Residência Médica” (o capítulo 8 – Dermatologia).

Links relacionados:

Compartilhe com seus amigos:
Termos de Uso | Política de Privacidade. © Copyright, Todos os direitos reservados.