Questões na prática

Clínica Médica

Cardiologia

A aferição correta da tensão arterial, por técnica padronizada, vem sendo enfatizada como medida de qualidade de atenção médica. São recomendações que fazem parte da padronização do Ministério da Saúde, exceto:

A
uso de manguito com largura correspondente a 40% da circunferência do braço
B
intervalo mínimo de 1 minuto entre as duas aferições
C
registro habitual da tensão arterial diastólica no momento do desaparecimento dos sons (Korotkoff V)
D
arredondamento de no máximo 5 mmHg no registro dos valores da tensão arterial
E
tomada sistemática da tensão arterial sistólica palpatória antes da auscultatória
A administração de carvão ativado está indicada na ingestão de todos os agentes abaixo, EXCETO:
Levando-se em conta a eficácia e os efeitos adversos associados, são consideradas como medicações de primeira linha no tratamento do distúrbio do pânico:
Uma mulher de 70 anos é acompanhada há 6 semanas por dor contínua na cintura escapular e ombros, sem fatores de melhora ou piora. Recebeu analgésicos comuns e anti-inflamatórios não hormonais sem alívio dos sintomas. Os seus exames mostram Hb = 11,8 g/dl, leucócitos = 6400/mm³, sem desvio, plaquetas = 330 000/mm³, glicemia = 94 mg/dl, creatinina = 0,9 mg/dl, sódio, potássio e urina tipo I normais, VHS = 82 mm/1ª hora, FAN negativo e Fator Reumatoide positivo em título baixo. O médico deve:
Um homem de 57 anos é levado ao pronto-socorro por uma unidade de resgate, com queixa de dor abdominal difusa há oito horas. Está em regular estado geral, tem frequência cardíaca de 120 batimentos por minuto, pressão arterial de 90×50 mmHg, frequência respiratória de 24 incursões por minuto e saturação de oxigênio de 92%, com cateter de O2 com 2 L/minuto. O abdome está tenso e com rigidez involuntária. A radiografia simples de abdome mostra presença de gás extraluminal. Antes que esse paciente seja encaminhado à sala de operação, é fundamental fazer:
Compartilhar