Questões na prática

Ginecologia e Obstetrícia

Ginecologia

A bexiga hiperativa é caracterizada por urgência miccional, com ou sem incontinência de urgência e associada ao aumento da frequência miccional, podendo ser primária (idiopática) ou secundária. São causas conhecidas de bexiga hiperativa:

A
HPB, cirurgias de amputação de reto, neuropatia periférica.
B
obstrução do colo vesical, prolapso uterino, AVC.
C
trauma raquimedular, histerectomia ampliada, neuropatia diabética.
D
HPB, incontinência urinária de esforço, neuropatia periférica.
Paciente do sexo feminino, 55 anos de idade, com antecedente de diabetes mellitus e hipertensão arterial sistêmica, além de obesidade (90 kg e altura 1,60 m) e dislipidemia, em tratamento médico irregular, sem controle clínico adequado, foi encaminhada para o ambulatório de especialidade para acompanhamento devido à elevação das escórias nitrogenadas. Após a avaliação inicial, foi constatada creatinina 2,5 mg, ureia de 95 mg, colesterol 320 mg, HDL 30 mg, triglicérides 289 mg, ácido úrico 8,0/glicemia, 180 mg/glicemia pós-prandial 215 mg/cálcio, 8,0/fósforo, 6,5 mg/Hb, 11 g/Ht 33%/USG com rins de tamanho e ecogenicidade dentro do normal. Fundo de olho com retinopatia proliferativa grau II. Considerou-se a paciente como nefropata crônica secundária à nefropatia diabética e hipertensiva. Sobre a insuficiência renal crônica, é correto afirmar que:
Lactente, dois anos de idade, negro, sexo masculino, natural de Salvador - BA. É internado com quadro de febre há 20 dias, dor em MMSS, com presença de hiperemia em 3° e 5° quirodáctilo D. Antecedentes de três internações no último mês, pelos mesmos sintomas. Portador de falcemia (SS), diagnosticada no teste de triagem neonatal. O Rx mostra lesão osteolítica no 3° e 5° quirodáctilo, com fratura patológica ao nível do 3º, a radiografia de tórax é normal:
No paciente imunocompetente, a origem, o início e o tipo de diagnóstico da uveíte mais comum em nosso meio são:
No tocante ao câncer de pênis, é FALSO afirmar que:
Compartilhar