Questões na prática

Clínica Médica

Cardiologia

A coarctação da aorta costuma estar associada a outros defeitos congênitos, cardíacos ou vasculares. Dentre as anormalidades associadas, assinale a mais frequente, e que costuma apresentar repercussão hemodinâmica na evolução tardia dos pacientes portadores de coarctação da aorta corrigida.

A
Duplo arco aórtico
B
Comunicação interventricular
C
Válvula aórtica bicúspide
D
Persistência do canal arterial
E
Displasia da valva mitral
Mulher de 82 anos, analfabeta, é atendida no ambulatório e é realizada uma Avaliação Geriátrica Ampla (AGA), com os seguintes resultados: De acordo com a AGA, os riscos à paciente são
Paciente com cefaleia em região frontal e maxilar, com sensação de peso ao baixar a cabeça, voz anasalada, rinorreia de aspecto purulento, febre, apatia, tosse que piora ao deitar. O diagnóstico mais provável diante do quadro clínico apresentado é:
Homem 82 anos, tabagista desde os 25 anos, diabético tipo II e hipertenso com uso irregular de captopril. Há 24 horas apresentou dor aguda de forte intensidade e progressiva em região torácica posterior, Nega dor semelhante prévia. Nega claudicação intermitente. Ao exame físico: consciente e orientado, pressão arterial de 200 x110 mmHg, frequência cardíaca de 77 bpm, pulsos palpáveis e simétricos em membros superiores, em em membros inferiores os pulsos distais estavam diminuídos, porém simétricos. O eletrocariograma da admissão era sugestivo de sobrecarga ventricular esquerda. Foi internado, iniciada analgesia e otimizada a terapia anti-Hipertensiva. A dor torácica persistia após 48 horas, com pressão arterial de 140 x 80 mmHg e frequência cardíaca de 55 bpm. A figura abaixo mostra a radiografia de tórax e parte da tomografia. Qual o diagnóstico provável e a melhor conduta?
Criança com coceira frequente nos olhos, pele palpebral macerada, conjuntiva cronicamente congestionada e de coloração "vermelho salmão", associados à secreção mucosa, induzem ao diagnóstico de:
Compartilhar