Questões na prática

Clínica Médica

Preventiva

Cardiologia

A decisão sobre a realização de um exame diagnóstico está diretamente ligada às hipóteses diagnósticas para um determinado paciente: sintomas, sinais e fatores de risco específicos aumentam ou diminuem a probabilidade de identificar uma doença ou agravo. Dessa maneira, pode-se afirmar que:

A
um exame de check-up em um homem de 35 anos, assintomático e sem fator de risco para doença cardíaca com um infradesnivelamento de ST de 1mm, deve ser seguido de investigação invasiva.
B
um exame de esforço negativo em um homem de 65 anos, tabagista com angina, exclui a hipótese de doença coronariana.
C
um paciente de 60 anos, com dor torácica atípica e desvio de 2,5mm no ECG de esforço, é altamente preditivo para doença coronariana.
D
o teste de esforço tem valor preditivo menor, se for realizado em uma mulher tabagista e hipertensa, em comparação a uma mulher da mesma idade, sem fator de risco para doença coronariana.
E
um paciente de 60 anos, com dor torácica atípica e desvio de 2,5 mm no ECG de esforço, não é altamente preditivo para doença coronariana.
Uma adolescente de 14 anos, do sexo feminino, procura atendimento médico, acompanhada de sua mãe, devido à perda de peso excessiva. A mãe relata que a adolescente permanecia longos períodos no banheiro para induzir vômitos. A adolescente confirma a história e refere uso de laxante. Ciclo menstrual irregular com amenorreia há quatro meses. Exame físico: peso: 35 Kg (< p3), Estatura: 168 cm (p 90), IMC: 12,41 Kg/m2 (<p3), PA 100/70 mmHg, FC: 70 bpm. Considerando a provável hipótese diagnóstica, o principal sinal de gravidade é a:
No trauma abdominal contuso, a víscera mais frequentemente lesada é:
Com relação às lesões do trato genitourinário em acidente de automóvel pode-se afirmar que:
Mulher de 45 anos apresenta, há cinco anos, episódios de fenômeno de Raynaud, em uso de nifedipina. Evolui nos últimos três meses com disfagia, edema com sinais flogísticos nos quirodáctilos, artrite de pequenas articulações das mãos com rigidez pós-repouso de 30 minutos e dispneia a esforços. Seu exame físico revela dedos em salsicha, telangiectasias em tórax e P2 hiperfonética com choque valvar em área pulmonar. O marcador sorológico mais específico para o quadro descrito é o anticorpo:
Compartilhar