Questões na prática

Clínica Médica

Preventiva

Cardiologia

A decisão sobre a realização de um exame diagnóstico está diretamente ligada às hipóteses diagnósticas para um determinado paciente: sintomas, sinais e fatores de risco específicos aumentam ou diminuem a probabilidade de identificar uma doença ou agravo. Dessa maneira, pode-se afirmar que:

A
um exame de check-up em um homem de 35 anos, assintomático e sem fator de risco para doença cardíaca com um infradesnivelamento de ST de 1mm, deve ser seguido de investigação invasiva.
B
um exame de esforço negativo em um homem de 65 anos, tabagista com angina, exclui a hipótese de doença coronariana.
C
um paciente de 60 anos, com dor torácica atípica e desvio de 2,5mm no ECG de esforço, é altamente preditivo para doença coronariana.
D
o teste de esforço tem valor preditivo menor, se for realizado em uma mulher tabagista e hipertensa, em comparação a uma mulher da mesma idade, sem fator de risco para doença coronariana.
E
um paciente de 60 anos, com dor torácica atípica e desvio de 2,5 mm no ECG de esforço, não é altamente preditivo para doença coronariana.
Na obstrução intestinal colônica com válvula ileocecal competente encontramos, exceto:
Paciente de 54 anos com quadro de dor abdominal, localizada em fossa ilíaca esquerda, associado a alteração de hábito intestinal. Refere episódios prévios de hematoquezia. Hemograma com leucocitose e desvio para esquerda. EAS sem alterações. O diagnóstico mais provável é:
Paciente na 29ª semana de gestação é admitida com diagnóstico de dor abdominal aguda intensa. Ao exame a paciente encontrava-se hipertensa, com hipertonia uterina e taquicardia fetal. O médico observou que a toque a dilatação cervical encontrava-se em 3 cm e realizou amniotomia com saída de líquido amniótico sanguinolento. Em relação a amniotomia pode-se dizer que a conduta foi:
São características do Recém nascido filho de mãe diabética, exceto:
Compartilhar