Questões na prática

Clínica Médica

Gastroenterologia

Hepatologia

A denominação de hepatite fulminante é dada à insuficiência hepática aguda grave caracterizada pelo aparecimento de encefalopatia hepática, na ausência de comprometimento prévio conhecido de função hepática. Sobre hepatite fulminante, assinale a alternativa incorreta:

A
A mortalidade é decorrente principalmente de hipertensão intracraniana secundária ao edema cerebral.
B
A encefalopatia de grau III e IV é indicação de transplante hepático.
C
A hepatite fulminante por uso de paracetamol (>4 g) pode ser tratada com N-acetilcisteína via oral ou endovenosa.
D
A descompressão portal é contraindicada quando a etiologia da hepatite fulminante é a síndrome de Budd-Chiari.
E
O diagnóstico de hepatite fulminante determina “prioridade zero” para o transplante hepático; ou seja, o paciente se torna o primeiro da lista de receptores.
A infecção de parede abdominal na operação cesariana tem incidência em torno de 7% e representa a principal causa de infecção puerperal. Assinale dentro das afirmativas abaixo relacionadas, aquela que é falsa.
Em uma fratura da pelve tipo “livro aberto”, com instabilidade hemodinâmica aguda na urgência, qual a melhor conduta a ser tomada:
Você está de plantão em um pronto-socorro, para onde foi trazido um jovem de 29 anos, vítima de colisão moto-poste em alta velocidade, com capacete. O paciente se apresenta com hematoma periorbital bilateral, bastante agitado, cianótico, com rouquidão e dificuldade para se expressar. Há múltiplas lesões nos ossos da face e mandíbula, dentes quebrados e bastante sangue na cavidade oral. Foi administrado oxigênio sob máscara facial, com reservatório 12 L/min e a saturação de oxigênio é de 78%. Qual a conduta mais recomendável?
Qual a importância de se iniciar a nutrição via enteral em pacientes graves pós-trauma ou em pós-operatório?
Compartilhar