Questões na prática

Clínica Médica

Gastroenterologia

A doença diverticular dos cólons, complicada por episódios de inflamação repetidos, pode evoluir para a formação de fístula entre o segmento de cólon envolvido e outras estruturas abdominais. O local mais frequente de formação de fístula é:

A
útero
B
vagina
C
bexiga
D
intestino delgado
E
tuba uterina
Um homem de 25 anos de idade procurou a unidade de emergência devido à importante redução da diurese. No exame físico, constatou-se pressão arterial de 110 mmHg x 70 mmHg e durante a inspiração profunda verificou-se que a pressão arterial sistólica era igual a 95 mmHg, frequência cardíaca de 98 bpm, turgência jugular a 45° (com aumento da pressão venosa central - PVC - durante a inspiração), ritmo cardíaco regular, com bulhas hipofonéticas e ruído sistólico semelhante a “ranger de couro novo” em borda external esquerda baixa, sem sopros, pulmões limpos, edemas de membros inferiores (+1/+4), com diurese de 24 horas igual a 80 ml. Resultados de exames laboratoriais: creatinina plasmática = 4,8 mg/dl, ureia plasmática = 110 mg/dl, sódio urinário = 80 mEq/L, osmolalidade urinária = 298 mOsm/kg, Fração Excretada de Sódio (FENa) = 2,3%, potássio plasmático = 5,1 mEq/L. Foi solicitada a realização de Eletrocardiograma (ECG) convencional. Considerando as informações apresentadas, julgue o item. Os achados são compatíveis com o diagnóstico de insuficiência renal aguda oligúrica do tipo pré-renal.
Uma paciente feminina de 72 anos de idade apresenta quadro súbito de fraqueza da mão direita e hemiface direita, disfasia e hemianopsia homônima direita. Nesse caso, houve oclusão da artéria:
Prematuro de 27 semanas e 1080g, com 60 horas de vida, está em ventilação mecânica com parâmetros mínimos após ter recebido 2 doses de surfactante. A primeira, com 2 horas, e a segunda, com 12 horas de vida, respectivamente. Há 3 horas, apresenta queda da saturação com necessidade de aumento de parâmetros ventilatórios. Ao exame, apresenta frequência cardíaca entre 168 a 180 bpm, precórdio hiperdinâmico, sopro sistólico em terceiro espaço intercostal esquerdo e pulso amplo. Gasimetria, com aumento de PCO2 e dimuição da PaO2. Neste momento, o diagnóstico mais provável, devido à piora clínica deste prematuro, é:
A Academia Americana de Pediatria publicou, em 2011, uma diretriz sobre convulsão febril simples na infância. Considera que pacientes de seis meses a seis anos sejam avaliados nas primeiras 12 horas após a crise convulsiva. A crise não pode ser prolongada, focal e/ou recorrente. Não é válida para aqueles com quadros neurológicos prévios, anormalidades conhecidas do sistema nervoso central ou história de convulsões afebris. Assim, nessas crianças, com convulsão febril simples:
Compartilhar