Questões na prática

Clínica Médica

Cardiologia

Infectologia

Nefrologia

A endocardite infecciosa é uma afecção predominantemente da terapêutica clínica. Em situações especiais, a cirurgia é realizada mesmo na vigência da infecção. Na fase aguda, o tratamento cirúrgico é indicado quando ocorre a presença de:

A
toxemia, insuficiência renal aguda com indicação de hemodiálise e abscessos esplênicos.
B
insuficiência respiratória com indicação de ventilação mecânica, micro-organismo desconhecido e abscessos cerebrais.
C
insuficiência cardíaca de difícil controle, embolias de repetição e abscesso anular.
D
quadro séptico, detecção de lesão valvar e de vegetação ao ecocardiograma.
J.D.G., masculino, 8 anos de idade, teve fratura fechada dos ossos do antebraço direito, sendo realizada redução incruenta e aparelho gessado axilopalmar. Retorna ao PS, após 6h, com dor em todo o membro superior acometido e parestesia na mão. No momento, há boa perfusão e pulso presente. Qual a sua conduta inicial?
Considere um pré-escolar de 4 anos de idade, portador de Asma Brônquica desde lactente, com episódios recorrentes de sibilância e dispneia, desencadeados por vários fatores alérgicos, inclusive aos esforços. Qual a conduta preventiva a ser tomada preferencialmente?
Dentre as pacientes que procuram os ambulatórios de Doenças Sexualmente Transmissíveis, é comum ter de fazer a distinção entre úlcera genital da sífilis primária e do cancro mole. O diagnóstico diferencial, com bases clínicas, pode ser feito adotando as seguintes observações:
Aos comunicantes assintomáticos de hanseníase é preconizado:
Compartilhar