Questões na prática

Clínica Médica

Pediatria

Pneumologia

A melhor estratégia para o tratamento de manutenção da asma na infância consiste em:

A
Uso de beta agonista de longa ação, corticosteroide oral e controle ambiental
B
Uso de xantina de ação prolongada, corticosteroide sistêmico e controle ambiental
C
Uso de cronoglicato, beta agonista de longa ação e controle ambiental
D
Uso de corticosteroide inalatório, beta agonista de longa ação e controle ambiental
E
Nenhuma das anteriores
Uma paciente de 30 anos apresenta descarga mamilar unilateral e uniductal. Teve seu último parto há três anos e está em uso de DIU (dispositivo intrauterino). Ausência de lesão palpável. Foi realizada coleta de secreção por compressão e confeccionados esfregaços citopatológicos para avaliação diagnóstica. Os esfregaços mostravam grande número de células espumosas (foamy cells), ausência de hemácias e poucas células ductais isoladas ou em pequenos agrupamentos e algumas células bipolares (mioepiteliais), com boa coesão, núcleos uniformes e sem atipias. Nesse caso, qual o diagnóstico mais provável?
Em doente politraumatizado, com fratura de face, não deve ser considerado como prioridade:
Um lactente de 15 meses apresenta quadro recorrente de tosse com predomínio noturno, sibilância e desconforto respiratório. Nesse caso, qual achado clínico associado pode ser sugestivo de asma?
Menino, 13 anos, obeso tipo adiposo-genital, apresenta dor em joelho D há 3 meses com claudicação associada. Relata piora aos esforços, principalmente ao caminhar e correr. A dor passou recentemente a acometer o quadril D, surgindo rotação externa e encurtamento do MID. Qual a principal hipótese diagnóstica?
Compartilhar