Questões na prática

Clínica Médica

Infectologia

A metodologia considerada padrão ouro para o diagnóstico de uma infecção urinária é:

A
Coleta com o saquinho coletor.
B
Cateterismo vesical.
C
Vesicostomia.
D
Punção supra-púbica.
E
Coleta do jato médio.
Indivíduo do sexo feminino, 50 anos, portadora de miocardiopatia dilatada idiopática familiar, em tratamento farmacológico otimizado com IECA (captopril 150 mg/dia), betabloqueador (carvedilol 50 mg/dia), espironolactona 25 mg/dia e diurético de alça (160 mg/dia). Queixa-se de palpitações ocasionais. Seu eletrocardiograma revela aumento do intervalo QT, depressão do segmento ST e da onda T e onda U evidente. Qual distúrbio eletrolítico pode estar envolvido no caso?
Menino com 2 meses de idade é levado a uma Unidade Básica de Saúde, pois a mãe está muito preocupada com o aumento de suas mamas. Ao examiná-lo, o médico detecta tecido mamário hipertrofiado, com mamas com diâmetro de cerca de 2,5 cm. O médico deve orientar:
Mulher, 78 anos de idade, é trazida ao pronto atendimento pelo filho, referindo que ela apresentava esquecimento progressivo nos últimos 3 anos, além de não saber o dia da semana ou mês. Há 3 dias, iniciou quadro de diminuição da concentração, agressividade, pensamentos incoerentes com oscilação destes sintomas ao longo do dia. Ao exame clínico, apresentava-se corada, hidratada, afebril, eupneica, desorientada, com agitação psicomotora. Sem outras alterações no exame. A melhor opção terapêutica para o quadro agudo desta paciente é:
Paciente de dois anos e sete meses vem ao atendimento de emergência com quadro de tosse e febre (até 39, 7 °C) há seis dias. A cobertura vacinal prevista pelo Programa Nacional de Imunizações está completa. O RX de tórax evidenciou condensação homogênea em base de pulmão D, sem sinais de derrame pleural. Nesse caso:
Compartilhar