Questões na prática

Ginecologia e Obstetrícia

Ginecologia

A Organização Mundial de Saúde classifica a disfunção ovulatória em três grupos, O grupo II:

A
é o menor grupo, inclui pacientes com FSH elevado, que não respondem com sangramento ao teste da progesterona.
B
inclui pacientes com gonadotrofinas elevadas, menopausa precoce e com ovários resistentes.
C
é o maior grupo, inclui pacientes com níveis normais de estrogênios e FSH, que respondem com sangramento ao teste da progesterona.
D
inclui pacientes, em geral, amenorreicas, com hipoestrogenismo, que não sangram com a progesterona e têm níveis de FSH baixos.
O tipo de HPV com potencial oncogênico é o:
Um paciente de 55 anos vem à consulta com queixa de claudicação intermitente em membro inferior esquerdo para 500 metros. Ao exame: ausência de pulsos poplíteos e distais. A conduta a ser adotada é:
Mulher, 30 anos de idade, vem apresentando amenorreia há 4 meses, após ter sido submetida à curetagem uterina devido a um abortamento incompleto, de 9 semanas. Não tem outras queixas clínicas. Menarca aos 12 anos, com ciclos de 28 d/3 a 4 dias/++. Mamas sem secreções. Tireoide normal à palpação. Beta-HCG: negativo. O diagnóstico provável do quadro descrito é:
Paciente, 32 anos de idade, G1P0A0, com gestação de 31 semanas, vem ao pré-natal referindo que apresentou palpitações, pele quente, insônia, perda de peso, aumento da tireoide e exoftalmia. Traz exames com Ht: 34%, Hb: 11g%, TSH: 0,001, T4 livre: aumentado. Ultrassonografia obstétrica, IG: 31 semanas e 2 dias, ILA: 95 mm, placenta-grau 1, peso fetal de 1000 g, apresenta aumento das medidas da tireoide fetal. Vem em uso de propiltiouracil (PTU) 400 mg/dia. A etiologia mais provável para esse quadro clínico é:
Compartilhar