Questões na prática

Pediatria

Doenças Respiratórias

A respeito da faringite aguda, assinale a alternativa correta.

A
A faringite aguda causada pelo estreptococo do grupo A é comum em crianças com menos de 3 anos de idade.
B
A faringite aguda na população adulta tem como principal etiologia a bactéria Streptococcus pyogenes.
C
A infecção aguda pelo vírus HIV pode ocasionar um quadro de faringite aguda, devendo ser considerada nos pacientes com comportamento de risco.
D
O início precoce do antibiótico penicilina no tratamento da faringite aguda estreptocócica é importante para a prevenção da glomerulonefrite aguda.
E
No paciente com faringite aguda, a presença de linfonodos aumentados e dolorosos na região cervical é sugestivo da etiologia viral, principalmente da família rinovírus.
Adolescente de 15 anos procura médico com queixa de amenorreia há 4 meses. Refere perda de 20 kg (peso anterior de 60 kg) no último ano, após iniciar regime alimentar. Apesar da perda de peso, acha que ainda precisa perder "mais uns quilinhos" para chegar ao seu peso ideal. A respeito desse caso podemos afirmar que:
Um menino de 4 meses de vida é internado em enfermaria de pediatria com diagnóstico de bronquiolite. Para evitar a transmissão da doença no ambiente hospitalar, é correto:
Homem, 80 anos, antecedentes de HAS não controlada há vários anos. Em uma caminhada habitual há dois dias, apresentou sudorese fria, tontura, escurecimento de vista, aperto retroesternal, queda ao chão, com perda total da consciência e incontinência esfincteriana. Trazido ao PS pálido +++/4, cianose de extremidades, consciente, sonolento, sem sinais neurológicos de localização, pulso = FC = 56 bat/min; PA = 100 x 80 mmHg; Ictus de VE impulsivo e sustentado; BRNF SS++/4 em foco Ao. e Ao. acessório, com irradiação para carótida direita, mesossistólico e rude, com frêmito sistólico em foco Ao. Pulmões limpos. Pulsos periféricos finos e simétricos. ECG com sinais de sobrecarga ventricular esquerda evidentes. Baseado nos dados, assinale a alternativa correta.
A pior opção para tratar um megaesôfago chagásico avançado e recidivado é:
Compartilhar