Questões na prática

Clínica Médica

Gastroenterologia

A síndrome de Lynch (HNPCC) é caracterizada pela mutação nos genes:

A
APC.
B
DCC.
C
MMR.
D
TP53.
Mulher, 52 anos de idade, 1,65 m de altura, 60 kg, procurou o médico por conta de linfadenomegalia cervical, sendo diagnosticado linfoma não Hodgkin difuso de grandes células B. Foi iniciado tratamento quimioterápico, com regressão da massa cervical e sem intercorrências durante os dois primeiros ciclos. Entretanto, 11 dias após o terceiro ciclo de quimioterapia, a paciente procura o médico com queixa de equimoses e petéquias em membros inferiores e superiores, além de cansaço aos esforços. Também apresentou um pico febril não aferido 2 dias antes. Ao exame, estava descorada, sem adenomegalias, com várias equimoses numulares em braços e pernas. Pressão arterial de 105 x 65 mmHg e frequência cardíaca de 80 bpm. O hemograma revelou: hemoglobina de 8 g/dl; hematócrito de 25%; glóbulos brancos = 3.500/ml; neutrófilos = 2.000/ml e plaquetas = 48.000/ml. Em relação ao quadro hematológico, a conduta mais adequada é:
Adolescente de 15 anos procura a pediatra que a acompanha desde o nascimento, pedindo-lhe orientação para a anticoncepção. Não quer que seus pais saibam em hipótese alguma. Nesse caso a conduta indicada é:
Homem de 22 anos é trazido à emergência por uma ambulância devido a quadro de dor toráxica e formigamento nas mãos. Acredita ter sofrido ataque cardíaco e está muito assustado com a possibilidade de morrer subitamente. Relata episódios semelhantes toda vez que se encontra em locais com muitas pessoas. Nega antecedentes de qualquer doença. Ao exame, apresenta sudorese, taquipneia e pressão arterial, ligeiramente, acima de 140/90 mmHg. O eletrocardiograma mostra taquicardia sinusal. A temperatura, a glicemia e a dosagem de enzimas cardíacas estão normais. Qual o manejo mais apropriado para esta situação na emergência?
Um menino de 03 anos é levado ao pronto-socorro do HUCAM por sua mãe, com um quadro de retenção urinária aguda de 6 horas de duração. Tem abdômen doloroso a palpação. O sinal vésico-peniano é evidente. Qual é o provável diagnóstico?
Compartilhar