Questões na prática

Clínica Médica

Hematologia

Nefrologia

A síndrome hemolítico-urêmica é diagnosticada principalmente em crianças. Normalmente precedida por diarreia infecciosa, essa síndrome se caracteriza por:

A
anemia hemolítica autoimune, trombocitose e insuficiência renal aguda.
B
insuficiência renal aguda, anemia hemolítica autoimune e trombocitopenia.
C
insuficiência renal aguda, anemia hemolítica microangiopática e trombocitose.
D
anemia hemolítica microangiopática, insuficiência renal aguda e trombocitopenia.
Um senhor idoso de 88 anos, pedreiro aposentado, chegou ao pronto-socorro acompanhado por seus familiares. Segundo os cuidadores, o paciente apresentava discurso incoerente há 3 dias. Cochilava várias vezes por dia e quando acordado não parecia reconhecer onde estava. Em alguns momentos ficava agitado e dizia ver sombras que puxavam seus braços e pernas. Tais visões eram mais comuns no período noturno. Na avaliação inicial o paciente colaborou pouco. Não foi capaz de dizer o dia da semana e nem onde estava. Não foi capaz de soletrar a palavra MUNDO de trás para a frente (de forma inversa). Estava com as mucosas secas. Relatou dor no abdômen inferior à palpação. Notou-se tremores de extremidade em repouso e sinal da roda denteada positivo. A pressão arterial era de 90 x 58 mmHg e a frequência cardíaca de 72 bpm. A temperatura axilar era de 35,9 °C. A ausculta pulmonar não demonstrava ruídos adventícios e a ausculta cardíaca sopro sistólico 1+/4+ panfocal. Segundo os cuidadores, também era portador de insuficiência cardíaca congestiva e doença de Parkinson. Fazia uso de carvedilol e biperideno (este último introduzido há 7 dias). Qual o diagnóstico mais provável?
Um senhor idoso de 88 anos, pedreiro aposentado, chegou ao pronto-socorro acompanhado por seus familiares. Segundo os cuidadores, o paciente apresentava discurso incoerente há 3 dias. Cochilava várias vezes por dia e quando acordado não parecia reconhecer onde estava. Em alguns momentos ficava agitado e dizia ver sombras que puxavam seus braços e pernas. Tais visões eram mais comuns no período noturno. Na avaliação inicial o paciente colaborou pouco. Não foi capaz de dizer o dia da semana e nem onde estava. Não foi capaz de soletrar a palavra MUNDO de trás para a frente (de forma inversa). Estava com as mucosas secas. Relatou dor no abdômen inferior à palpação. Notou-se tremores de extremidade em repouso e sinal da roda denteada positivo. A pressão arterial era de 90 x 58 mmHg e a frequência cardíaca de 72 bpm. A temperatura axilar era de 35,9 °C. A ausculta pulmonar não demonstrava ruídos adventícios e a ausculta cardíaca sopro sistólico 1+/4+ panfocal. Segundo os cuidadores, também era portador de insuficiência cardíaca congestiva e doença de Parkinson. Fazia uso de carvedilol e biperideno (este último introduzido há 7 dias). Qual a melhor conduta inicial?
Qual dos itens você acha mais importante para caracterizar uma convulsão febril simples?
Considerando as cardiopatias congênitas, o desenvolvimento da Síndrome de Eisenmenger pode acontecer antes da segunda década de vida se não houver diagnóstico e intervenção cirúrgica adequada em quais das cardiopatias congênitas abaixo?
Compartilhar