Questões na prática

Clínica Médica

Infectologia

Pneumologia

Acerca das Pneumonias Adquiridas na Comunidade (PAC) em pacientes imunocompetentes, assinale a opção correta.

A
Têm como agentes etiológicos mais frequentes os germes atípicos e o Streptococcus pneumoniae.
B
Pacientes com idade inferior a 50 anos sem comorbidades, com sinais vitais pouco alterados e sem distúrbios sensoriais devem ser tratados em regime de internação.
C
Naqueles pacientes com diagnósticos de PAC com relação entre pressão parcial de oxigênio no sangue arterial (PaO2) e a fração inspiratória de oxigênio (FiO2) -- PaO2/FiO2 -- menor do que 250 e acometimento de três lobos pulmonares podem ser conduzidas sob tratamento ambulatorial.
D
Em pacientes com PAC, e que tenham diagnóstico de doença pulmonar obstrutiva crônica e história do uso de antibióticos e/ou corticosteroides nos últimos três meses, deve-se evitar o uso de fluoroquinoloma respiratória, devido ao risco de agravamento da hipoxemia.
E
Nesse tipo de pneumonia a acentuação do infiltrado radiológico nas primeiras 48 horas é forte indicativo de falha terapêutica, independentemente da evolução clínica.
A febre reumática é doença inflamatória multissistêmica que ocorre em indivíduos geneticamente suscetíveis, após infecção faríngea provocada pelo estreptococo beta-hemolítico do grupo A. O diagnóstico baseia-se na utilização de sinais clínicos e laboratoriais que integram os chamados critérios de Jones modificados, incluindo cinco sinais maiores e cinco menores. Com base nessas informações, julgue o item subsequente. Os cinco sinais maiores são a cardite, a artrite migratória, a coreia, o eritema marginado e os linfonodos subcutâneos cervicais.
Durante uma conversa informal, uma jovem deixa escapar que tem episódios frequentes de palpitação. Mas como curioso, você ausculta o precórdio da moça e se surpreende com um sopro telessistólico. Entre as hipóteses diagnósticas, você pensa inicialmente em:
Mulher de 45 anos apresenta, há cinco anos, episódios de fenômeno de Raynaud, em uso de nifedipina. Evolui nos últimos três meses com disfagia, edema com sinais flogísticos nos quirodáctilos, artrite de pequenas articulações das mãos com rigidez pós-repouso de 30 minutos e dispneia a esforços. Seu exame físico revela dedos em salsicha, telangiectasias em tórax e P2 hiperfonética com choque valvar em área pulmonar. O marcador sorológico mais específico para o quadro descrito é o anticorpo:
Homem de 47 anos, portador de cirrose alcoólica, dá entrada em setor de emergência com quadro de oligúria, aumento do volume abdominal e edema ascendente de MMII até a raiz da coxa e região sacral. Seu exame físico revela icterícia de escleróticas +/4, ascite tensa e edema de MMII 4+/4. Exames laboratoriais mostram leucograma normal, plaquetas = 59.000/ mm³, ureia = 90 mg%, creatinina = 1,8 mg%, bilirrubina = 3,0 mg%, INR = 2,2 e albumina = 2,5 g%. É realizada paracentese, e análise do líquido ascítico mostra celularidade = 650 células com 80% PMN e proteína total = 0,9 g% (albumina = 0,5 g%). EAS mostra cilindros hialinos, pH = 6,0, ausência de proteínas e hemácias e sódio de 9 mEq/I. Frente ao quadro clínico acima, a medida terapêutica que não está indicada, é:
Compartilhar