Questões na prática

Ginecologia e Obstetrícia

Ginecologia

Adolescente de 15 anos procura a pediatra que a acompanha desde o nascimento, pedindo-lhe orientação para a anticoncepção. Não quer que seus pais saibam em hipótese alguma. Nesse caso a conduta indicada é:

A
realizar a orientação anticoncepcional e recomendar consulta ao ginecologista.
B
comunicar a situação aos pais, apesar da solicitação da adolescente.
C
comunicar-lhe que só poderá orientá-la com o conhecimento e a autorização dos pais.
D
dizer à adolescente que só a orientará se algum outro familiar adulto responsabilizar-se pelo encaminhamento proposto.
M.G.M., 28 anos, GIPOAO, com 40 semanas em trabalho de parto. Apresenta medida do fundo uterino de 38 cm. Na palpação abdominal observa-se hipersistolia, taquissistolia, limite evidente entre o segmento superior e inferior, ligamentos redondos tensos e dolorosos. Ao toque vaginal observa-se colo uterino dilatado 4 cm, ODP; plano -3 De Lee, bolsa íntegra. O diagnóstico é:
Vinicius, 45 anos, é empresário e viajará para Manaus a trabalho por 6 meses. Queixa-se de rouquidão pela manhã e azia há 4 anos. Sua mãe contava que ele apresentava episódios de diarreia na infância, acompanhados de distensão abdominal, cólica e assaduras (dermatite) persistentes. Na época foram retirados de sua alimentação o leite e seus derivados, sendo permitido o uso de iogurte. Evoluiu sem sintomas até a adolescência quando abandonou a dieta. Ao exame físico está eutrófico. Foram prescritos alguns medicamentos sintomáticos e inibidor de bomba de próton (IBP), proposta a investigação diagnostica e a profilaxia de doenças do viajante Vinicius está assintomático após um mês de tratamento diário com IBP. A endoscopia digestiva mostra esôfago de Barret e a histopatologia afasta displasia. A esofagomanometria revela pressão normal do esfíncter esofagiano inferior e ausência de distúrbios motores. Com relação à quimioprofilaxia de malária deve-se:
Elis nasceu há 40 dias de parto normal, sem intercorrências, com 2710 g. Recebe aleitamento materno exclusivo e em livre demanda, acorda duas a três vezes à noite para mamar e os pais têm que permanecer cerca de uma hora com a criança dormindo no colo, em pé, para que arrote. Exame físico: bom estado geral, ativa, peso 3.830 g. O pediatra diz que se trata de refluxo gastroesofágico:
Tereza, 19 anos, primigesta, inicia pré-natal na 25ª semana de gestação. Faz exames: grupo sanguíneo O Rh negativo, Du negativo, Coombs indireto: 1:16. Relata febre, astenia e discreto exantema generalizado em torno da 10ª semana de gestação, que involuíram espontaneamente. Não procurou atendimento médico à época. Newton apresenta icterícia com 6 horas de vida. Bilirrubinas totais 23 mg/dL e indireta 22,3 mg/dL. Uma hora depois, realiza-se exsanguineotransfusão total através de cateterismo venoso umbilical. Este procedimento é realizado para evitar:
Compartilhar