Questões na prática

Clínica Médica

Ginecologia e Obstetrícia

Infectologia

Hepatologia

Ginecologia

Adolescente de 15 anos, sexo feminino, procura ambulatório com história de ter sido vítima de abuso sexual há 48 horas. Houve intercurso anal e vaginal, sem a utilização de preservativo pelo agressor. A mãe não sabe da caderneta de vacinação e não lembra a data da última vacina. Exames complementares revelam: Anti HAV IgG reagente e IgM não reagente. HbsAg não reagente e antiHBs reagente com baixa titulação.Qual a conduta mais apropriada para profilaxia antiretrovíral e hepatites?

A
Indicar profilaxia antiretrovíral e imunoglobulina hiperimune contra hepatite B;
B
Indicar profilaxia antiretrovíral e uma dose de reforço da hepatite B;
C
Indicar uma dose de reforço de vacina contra hepatite B e vacina contra hepatite A;
D
Indicar profilaxia antiretrovíral e imunoglobulina hiperimune contra hepatite A e B;
E
Não indicar profilaxia nenhuma
Em relação aos pólipos da vesícula biliar, assinale a alternativa INCORRETA.
Jucélia tem 43 anos e procura sua médica de família para a primeira consulta de pré-natal. Feliz com o resultado positivo de betaHCG realizado na semana anterior, decidiu realizar uma ultrassonografia transvaginal por conta própria. Jucélia casou há um ano e desde o início do casamento o sonho do casal era o de ter filhos. Há três meses apresentou um abortamento espontâneo, com IG de 10 semanas. Após o episódio, ela e o esposo ficaram muito abalados emocionalmente e temiam a possibilidade de não poder ter filhos biológicos. Na presente consulta, ao abrir o resultado da ultrassonografia, a médica de família depara-se com o seguinte resultado: “Presença de saco gestacional de 20 mm, não visualizado embrião ou vesícula vitelínica no seu interior. Gestação anembrionária.” Com relação à comunicação de notícias difíceis, é CORRETO afirmar que:
Constituem causas de oligodrâmnio:
Considere um paciente, 18 anos, com trauma perfurante de reto, por PAF há 2 horas, sem outras lesões associadas, localizado a 12 cm da margem anal. Qual a conduta cirúrgica?
Compartilhar