Questões na prática

Clínica Médica

Nefrologia

Adolescente, portadora de síndrome nefrótica resistente a tratamento com corticosteroide e ciclosporina, desenvolveu insuficiência renal crônica. Foi submetida a transplante renal e, imediatamente após, apresentou proteinúria maciça e edema generalizado. Qual o diagnóstico mais provável?

A
Glomeruloesclerose segmentar e focal.
B
Nefropatia membranosa.
C
Glomerulonefrite membranoproliferativa.
D
Lesões glomerulares mínimas.
E
Nefropatia por lgA (doença de Berger).
Atualmente, o Vírus Sincicial Respiratório (VSR) é reconhecido como o principal agente causal da bronquiolite. Durante surtos epidêmicos de VSR, 80% das bronquiolites são causadas por esse vírus. Para orientação dos pais quanto à profilaxia dessa doença é importante saber a faixa etária mais suscetível ao VSR. A profilaxia pode ser feita pelo uso de anticorpo monoclonal humanizado e deve ser aplicado: I- RN prematuros com idade gestacional "menor ou igual a" 28 semanas, se < 12 meses no início da estação; II- Portador de Broncodisplasia pulmonar, se < 24 meses no início da estação; III- RN prematuros com idade gestacional 33 a 35 semanas, se < 24 meses no início da estação; IV- Portador de cardiopatia congênita com repercussão hemodinâmica se < 24 meses no início da estação.
RN com característica de Síndrome de Down, iniciou com aproximadamente 12 h de vida, vômitos de caráter progressivo, tornando-se biliosos. Havia relato na história gestacional de polidrâmnio. Ao exame físico o abdome não apresentava distensão, porém foram visualizadas ondas peristálticas. Realizado radiografia de abdome que evidenciou a presença de dupla bolha. Diante desses dados, a principal hipótese diagnóstica é:
Os Aneurismas da Aorta Abdominal (AAA) são de importância especial por se tratar daqueles mais frequentes na prática clínica. Na maioria das vezes são assintomáticos e detectados em exames de rotina ou de forma ocasional. Qual o principal fator de risco de ruptura do AAA?
Menino, 3 anos, dá entrada no pronto atendimento com quadro de cianose e dispneia, semiconsciente, pouco reativo. Ao exame físico FC = 164 bpm, Sat = 65%, palidez cutânea, ictus visível com precórdio hiperdinâmico, primeira bulha hiperfonética e segunda bulha hipofonética sem sopro, abdômen com fígado a 1 cm RCD, pulsos finos. A mãe refere que a criança estava brincando no quintal e teve uma queda, chorou muito e iniciou o quadro de cianose com perda de consciência, refere também que a criança é portadora de cardiopatia congênita que não lembra o nome, mas que desde bebê é muito “roxinho” e já teve outras crises como essa. Está há 15 dias sem tomar a medicação e aguarda vaga para realizar cirurgia cardíaca. Com base nos dados acima, qual a hipótese diagnóstica e melhor tratamento a ser instituído no pronto atendimento?
Compartilhar