Questões na prática

Clínica Médica

Infectologia

Pneumologia

Ainda em relação ao paciente anterior, 8 semanas após introdução do esquema-retroviral, o paciente passa a apresentar linfadenomegalia generalizada, com gânglios grandes com 4 cm de diâmetro , móveis, com consistência elástica, principalmente, em cadeias cervicais,axilares, e mediastinais. Os exames realizados 4 semanas após a introdução do esquema antiretroviral, mostravam contagem de CD4 = 200 células/mm e cv = abaixo do limite mínimo de detecção. A principal hipótese diagnóstica e tratamento são:

A
linfoma não-Hodgkin de célula B, indicar quimioterapia
B
linfadenite por M. tuberculosis, modificar o tratamento antituberculostático
C
linfadenite por citomegalovírus, introduzir ganciclovir
D
linfadenite por M. tuberculosis, manter drogas antituberculostáticas e introduzir corticoterapia
E
lindafenite por Mycobacterium avium intracellulare, modificar o tratamento antituberculostático
Embora a rinite alérgica seja doença de diagnóstico predominantemente clínico, a avaliação laboratorial pode ajudar na identificação etiológica. Dentre as alternativas abaixo, qual apresenta afirmação CORRETA na investigação laboratorial da rinite alérgica?
Paciente do sexo feminino, 34 anos de idade, com história de artralgia e artrite não erosiva em articulações interfalangeanas e punho, presença de rash malar associado à fotossensibilidade e úlceras orais. Tem anticorpo antinuclear (FAN) fortemente positivo. Não apresenta comprometimento de outros órgãos no momento. Diante deste quadro, as medicações mais indicadas para esta paciente são, EXCETO:
Que estruturas tendinosas fazem parte do manguito rotador?
Paciente com lúpus eritematoso sistêmico que apresenta poliartrite, rash malar com fotossensibilidade, úlceras orais, sem alterações no exame de urina e sem comprometimento do sistema nervoso, deve receber, como terapia inicial:
Compartilhar