Questões na prática

Ginecologia e Obstetrícia

Obstetrícia

Ana Lúcia comparece ao Ambulatório de Alto Risco da Universidade Federal de Juiz de Fora com 28 semanas de gestação. Não apresenta queixas, relata boa movimentação fetal e nega perda de sangue e de líquido amniótico pela genitália. A rotina (propedêutica) de primeiro trimestre foi realizada com 10 semanas e não mostrou anormalidades. Na consulta atual, a gestante trouxe os seguintes resultados da propedêutica solicitada no segundo trimestre: hemoglobina = 12,2 g/dl; hematócrito = 37,2%; leucometria = 8900/mm3; glicemia de jejum = 110 mg/dl; TS-50 g (50 g de dextrosol; 1 hora de duração) = 157 mg/dl; VDRL = não reator; EAS e urocultura = normais. Considerando os resultados destes exames, pode-se afirmar que:

A
Ana Lúcia é sabidamente diabética
B
Ana Lúcia apresenta exame de rastreio positivo para diabetes gestacional, sendo necessária a confirmação diagnóstica através da curva glicêmica com 100 g de dextrosol e avaliação em jejum, 1, 2 e 3 horas
C
Ana Lúcia apresenta exame de rastreio positivo e, como o resultado do TS-50 g foi superior a 140 mg/dl, foi confirmado o diagnóstico de diabetes gestacional
D
Ana Lúcia deve repetir o teste de rastreio com 32 semanas de gestação
Qual a principal causa da insuficiência respiratória que ocorre no tórax instável (afundamento de tórax)?
A avaliação do desenvolvimento de uma menina de 6 meses deve apresentar os seguintes marcos do desenvolvimento, EXCETO:
A respeito dos sinais cardeais da DP, assinale a alternativa correta.
Adolescente, 15 anos, procurou o serviço de saúde com queixa de dor abdominal, predominante em hipocôndrio direito, náuseas e vômitos. Refere também fezes esbranquiçadas e urina escura. Ao exame físico mostra-se hipocorada +/6+, ictérica +/4+, com dor à palpação superficial e profunda em hipocôndrio direito e IMC= 38. Sem outras alterações ao exame. A hipótese diagnóstica mais provável é
Compartilhar