Questões na prática

Clínica Médica

Infectologia

Dermatologia

Dermatologia

Aos comunicantes assintomáticos de hanseníase é preconizado:

A
realização de teste de Mitsuda e quimioprofilaxia para os não reatores.
B
realização de teste Mitsuda e quimioprofilaxia para os reatores.
C
exame dermatológico e vacinação antitetânica.
D
exame dermatológico e vacinação contra hepatite B.
E
exame dermatológico e vacinação com BCG intradêmico.
A prenhez ectópica tubária que algumas vezes ultrapassa a 16ª semanas é:
O diagnóstico definitivo da influenza pelo vírus H1N1 pode ser feito pelos métodos de biologia molecular (PCR) com maior precisão. Ensaios de detecção antigênica (Elisa e imunofluorescência) diferenciam entre influenza A e B somente. Um teste positivo para influenza A não diferencia influenza sazonal (H3 ou H1) da infecção pela influenza H1N1. A sensibilidade do ensaio de detecção antigênica para detectar influenza H1N1 não é ainda conhecida. Testes comerciais rápidos de detecção antigênica que usam swabs de garganta ou nariz estão disponíveis e podem fornecer um resultado em 15-30 minutos. O teste rápido geralmente tem uma sensibilidade de 60 a 80% comparado com a cultura do vírus. Assim, um teste negativo não exclui influenza. A sensibilidade desses testes sugere que o teste rápido é menos útil onde a probabilidade pré-teste é alta (isto é, durante a fase de transmissão sustentada de uma pandemia estabelecida). Com base na informação acima, é INCORRETO afirmar:
Considerando pacientes com pré-diabetes, é verdade que:
RN a termo é atendido na sala de parto no berço aquecido, aspirado à boca, em seguida as narinas e secado. Ao avaliar o bebê, o pediatra verifica frequência cardíaca de 85 batimentos por minuto. A conduta a ser tomada é
Compartilhar