Questões na prática

Ginecologia e Obstetrícia

Ginecologia

Após os exames, no caso anterior, chegou-se ao diagnóstico de hiperprolactinemia, que droga você indicaria para regularizar o ciclo menstrual neste momento:

A
anticonceopcional oral
B
goserelina (análogo do GnRH)
C
cabergolina
D
fluoxetina
E
acetato de medroxiprogesterona
A alteração cromossômica que resulta na Síndrome de Down é:
Criança com dois anos de idade, atendida no pronto-socorro com quadro de dor e perda de força no membro superior direito há 1 hora. Mãe refere que a criança ia cair e ela a segurou pelo antebraço. Ao exame, o antebraço se encontra em extensão e pronado. A conduta recomendada é redução:
Recém-nascido com 37 semanas de idade gestacional, peso de nascimento: 2.250 gramas, escore de Apgar de 7 e 9 no 1° e 5° minutos, respectivamente. Nasceu de parto vaginal, com rotura de membranas amnióticas no ato. Encontra-se com 40 horas de vida e apresenta irritabilidade, recusa alimentar e tremores de extremidade. Ao exame físico: agitado, reflexo de Moro espontâneo e clônus ao manuseio. Temperatura axilar: 38,4ºC; frequência cardíaca: 200 bpm; frequência respiratória: 56 irpm. Ausculta respiratória e cardíaca normais, fígado a 5 cm do rebordo costal direito, baço a 3 cm do rebordo costal esquerdo. Sua mãe realizou acompanhamento pré-natal irregular, mas nega intercorrências durante a gestação. Refere ter tido diagnóstico de doença de Graves há cerca de 10 anos, a qual foi tratada com iodo radioativo, tendo evoluído com hipotireoidismo e fazendo, desde então, reposição de levotiroxina. Considerando a hipótese diagnóstica mais provável, assinale a conduta terapêutica apropriada para o caso.
De acordo com a classificação das lesões obstrutivas das artérias dos membros inferiores do TASC, elas são classificadas pelas letras A, B, C, D. Lesões múltiplas caracterizadas por estenoses ou oclusões, cada uma menor ou igual a 5 cm, são classificadas como TASC:
Compartilhar