Questões na prática

Clínica Médica

Hematologia

As anemias são classificadas pela sua causa e pelo tamanho da célula vermelha. Sobre esse assunto, responda o correto.

A
A anemia por deficiência de ferro é a mais comum, geralmente é microcítica e sua principal causa é a doença crônica.
B
São características das talassemias - espectro de anemias adquiridas - o seguinte: hipocromia, normocitose e células em alvo.
C
A síndrome mielodisplásica, caracterizada por hiperplasia eritroide decorrente da eritopoiese ineficaz, é macrocítica e há aumento nos depósitos de ferro na medula.
D
A anemia megaloblástica por deficiência de vitamina B12 raramente é grave, precede os sintomas neurológicos e não causa hiperbilirrubinemia.
E
A anemia falciforme é uma doença autossômica dominante e está relacionada à produção de uma hemoglobina defeituosa fruto da troca de tirosina por valina na cadeia dessa proteína.
Paciente portadora de vírus da hepatite C apresenta ecografia recente com heterogeneidade do parênquima hepático e biópsia com perda da arquitetura histopatológica. Refere há 24 horas hematêmese e melena em grande quantidade, com astenia progressiva e desconforto abdominal. Ao exame, está pálida, sonolenta, PA 70/30 mmHg, FC 140, FR 24, afebril. Na abordagem inicial de emergência, qual a conduta mais apropriada?
Um homem branco de 60 anos de idade relata dor na fossa ilíaca esquerda, fezes amolecidas e febre. Ele não tem história patológica pregressa significativa. O exame físico revela sinais vitais normais, exceto por temperatura de 38,7 ºC e dor à palpação na fossa ilíaca esquerda. Existe defesa na fossa ilíaca esquerda, mas não se pode palpar uma massa definida. A avaliação laboratorial é normal, exceto por uma contagem de leucócitos de 15.000. A rotina para abdome agudo é normal. São partes razoáveis de uma terapia inicial, EXCETO:
Julgue os itens subsequentes, relativos ao planejamento familiar. I- Os dispositivos intrauterinos T 380 A de cobre e o T de levonogestrel (Mirena) são tão eficazes quanto a laqueadura tubária e seu uso não apresenta associação estatística com o desenvolvimento de infecção pélvica a longo prazo. II- A contracepção hormonal na forma injetável ou por implante contendo apenas progestogênios apresenta alta eficácia e evita o risco de trombose venosa e tromboembolismo associado ao estrogênio. III- Os contraceptivos hormonais orais combinados apresentam alta eficácia contraceptiva, mas, a longo prazo, aumentam o risco de câncer endometrial e de mama. IV- Os anticoncepcionais orais contendo apenas progestogênios quando usados durante a lactação, não alteram a quantidade, porém afetam a qualidade do leite. V- O mecanismo primário de ação da contracepção hormonal de emergência é impedir a nidação. Estão certos apenas os itens:
Em primigesta, 19 anos, que apresenta quadro clínico compatível com pré-eclâmpsia na 31ª semana de gestação, qual o nível de pressão arterial diastólica a partir da qual deve-se proceder à terapêutica anti-hipertensiva com drogas hipotensoras de ação rápida?
Compartilhar