Questões na prática

Clínica Médica

Endocrinologia

Infectologia

As bactérias produtoras de beta-lactamase de espectro estendido (ESBL) estão sendo isoladas com frequência nos hospitais brasileiros e na comunidade, especialmente, em infecções do trato urinário e infecções intra-abdominais. Frente aos conceitos sobre ESBL é CORRETO:

A
São enzimas cromossomiais produzidas por GRAM negativos que hidrolisam todos os carbapenens.
B
São produzidas por GRAM positivos particularmente Staphylococcus epidermidis e Streptococcus spp.
C
São inativadas com ácido clavulônico sendo a associação de amoxicilina + ácido clavulônico ou ampicilina + sulbactam escolhas terapêuticas eficazes.
D
O cefepime é ativo contra cepas produtoras de ESBL sendo a droga de escolha para tratamento em infecções graves.
E
É possível utilizar quinolonas para tratamento de infecções urinárias não bacterêmicas contra cepas sensíveis mas em infecções graves os carbapenens são a droga de escolha.
Após realização de cardiotocografia intraparto, médico detecta presença de taquicardia fetal (167 bpm) e desaceleração do tipo cefálico. O exame obstétrico evidencia dilatação cervical de 9 cm com 100% de apagamento, apresentação cefálica no plano +2 de De Lee. A melhor conduta neste caso é:
Um lactente com dois meses de vida foi levado à consulta de puericultura sem queixas. Ele foi um recém-nascido de termo, adequado para a idade gestacional e apresentou Apgar de primeiro e quinto minutos igual a 9. Está em aleitamento materno exclusivo e com calendário vacinal em dia. No exame físico, apresenta obesidade, com índice de massa corporal acima do percentil 95 para idade e sexo e sem outras alterações. Com referência ao caso clínico acima apresentado e a aspectos relacionados a lactentes com a idade ali mencionada, julgue o próximo item. Normalmente, na idade em questão - dois meses de vida - , o lactente inicia o sorriso social.
Leia o caso clínico a seguir. Uma paciente de 25 anos, do sexo feminino, com diagnóstico prévio de migrânia com aura, apresentou piora das crises e se automedicou com sumatriptano em uso contínuo por 10 dias e, apesar da melhora da dor, a paciente evoluiu com parestesia seguida de hemiparesia esquerda de predomínio braquiofacial, hiper-reflexia, Hoffmann e Babinski à esquerda, sem alterações sensitivas ou da consciência e com coordenação preservada, sem rigidez de nuca e demais pares cranianos normais. Essa paciente é obesa e dislipidêmica, sem outras comorbidades. Com base nesses dados clínicos, o diagnóstico topográfico neurológico e a hipótese diagnóstica principal são, respectivamente:
Considere um paciente apresentando dor torácica, febre e expectoração purulenta há uma semana. O exame radiológico do tórax mostra uma consolidação alveolar no lobo superior direito e derrame pleural à direita. Efetua-se uma punção pleural cujo líquido se mostra amarelo claro e com os seguintes resultados de laboratório: densidade = 1025, proteínas de 3,5 g%, LDH de 500 UI/l, glicose de 70 mg/dl, pH de 7,3 e predomínio de polimorfonucleares com bacterioscopia e cultura negativas. Qual a melhor conduta terapêutica em relação ao derrame pleural?
Compartilhar