Questões na prática

Ginecologia e Obstetrícia

Pediatria

Pediatria Geral

As duas questões 24 e 25 referem-se ao caso clínico abaixo: Menina de 11 anos de idade é trazida à unidade de saúde pela mão com queixas de fluxo vaginal que mancha suas roupas intimas. A mãe relata secreção em pequena quantidade, sem odor, não irritativa, não pruriginosa. Na avaliação ginecológica, vulvoscopia sem sinais inflamatórios, hímen intacto, presença de pêlos na região pubiana recobrindo a linha média. Na avaliação da mama, apresenta elevação da mama e da papila, sem separação dos contornos as aréola e da mama. Quanto ao exame físico da paciente e segundo os estágios da Tenner, amelhor classificação para a paciente descrita é:

A
pode ser classificada como m1 e está iniciando a pubarca
B
pode ser classificada como M2 e está iniciando a pubarca
C
pode ser classificada como M3 e provavelmente ainda não passou pela menarca
D
pode ser classificada como M3 e provavelmente já passou pela menarca
E
pode ser classificada como M4 e já passou pela pubarca e pela menarca
Homem de 42 anos de idade, com diagnóstico de hanseníase virchowiana fez tratamento com poliquimioterapia para multibacilar por 12 meses. Após três meses do término do tratamento, surgiram pápulas e nódulos eritemato-edematosos nos braços e pernas, acompanhados de febre e mialgia. Trata-se de
Na exérese cirúrgica de um cisto sebáceo, no couro cabeludo, além de todos os cuidados relativos à técnica de exérese de pequenas lesões, com referência especificamente ao cisto devemos primar:
Paciente de 18 anos, sexo masculino, refere há 3 dias dor anal intensa às evacuações, que persiste por cerca de 2 horas após a evacuação, que teve início ao evacuar fezes endurecidas. Acompanha o quadro hematoquezia. O quadro clínico é mais compatível com:
Senhor de 40 anos, há 12 horas, relata tremores, náusea, tontura, palpitações e sudorese fria. Negou uso prévio de medicações ou doenças físicas. Relatou uso de álcool e tabaco diariamente, sendo que o último uso foi há 16 horas. Negou uso ou abuso de outras substâncias. Optou-se apenas por hidratar e após 4 horas evoluiu com alucinações visuais, onde relatava estar vendo cobras e aranhas. O diagnóstico mais provável é síndrome de abstinência ao álcool com delirium. No caso, a melhor conduta medicamentosa será:
Compartilhar