Questões na prática

Ortopedia

As fraturas expostas associadas à lesão vascular são classificadas como tipo III c de Gustillo. Nessas fraturas, a lesão vascular está frequentemente associada a perdas ósseas, a falta de cobertura das partes moles e também a lesões neurológicas. Com relação à abordagem terapêutica dessas fraturas, é correto afirmar:

A
Apesar da gravidade das lesões, os índices de indicação de amputação do segmento envolvido são menores do que 5%.
B
Na fratura da tíbia, a lesão complexa de partes moles associada à ruptura do nervo tibial posterior é indicação praticamente absoluta de amputação.
C
Deve-se tentar sempre o tratamento cirúrgico e a manutenção do membro mesmo em situações de grave perda óssea e de cobertura cutânea, pois a amputação deve ser realizada em um segundo ou terceiro tempo.
D
Nos membros inferiores, a angiografia é sempre indicada, mesmo que o nível de lesão esteja evidente.
E
O reparo da lesão vascular deve preceder a estabilização do esqueleto.
Um homem de 65 anos, tabagista há trinta anos, mais de 20 cigarros por dia, assintomático, vai ao consultório médico para fazer um check-up. De acordo com a faixa etária desse paciente, as doenças que devem ser pesquisadas são:
Os achados laboratoriais típicos da leishmaniose visceral (calazar) são:
Uma paciente de 40 anos, antecedente de uso de anticoncepcional oral, vem ao hospital com dor no hipocôndrio direito (HD). Uma TC de abdome revela um adenoma hepático de 5 cm no lobo D. O tratamento definitivo para essa lesão é:
Pré-escolar de cinco anos é levado a atendimento médico com história de cefaleia, vômitos e alteração do comportamento, caracterizada por irritabilidade e hiperatividade, há dois meses. Exame físico: paciente pouco cooperativo, hiperpneico, FC: 60 bpm, PA: 130X90 mmHg. A hipótese diagnóstica mais provável é:
Compartilhar