Questões na prática

Clínica Médica

Hepatologia

As vantagens da colecistectomia laparoscópica amplamente comprovadas tornaram-na o procedimento de escolha para tratamento da colelitíase sintomática. Algumas colecistectomias laparoscópicas, entretanto, necessitam de conversão. Na maioria dos casos, essa não é uma falha, nem uma complicação da operação; trata-se, na verdade, de medida necessária a fim de se evitar ambas. Sobre conversão na colecistectomia laparoscópica, assinale a alternativa incorreta.

A
A média de conversão é de 5%, e diminui com maior experiência da técnica.
B
A idade superior a 60 anos é fator de risco para conversão.
C
A principal causa de conversão é a inflamação e aderência entre as estruturas no triângulo de Calot.
D
A principal causa de lesão é a má-identificação da via biliar. Nesses casos, geralmente a laparotomia é necessária para a correção.
E
Na colecistite aguda o momento da intervenção cirúrgica não tem relação com a taxa de conversão.
Ivo, 52 anos, refere disfunção erétil desde uma ressecção abdominoperineal devido à câncer retal, cujo estadiamento era T3, N0, M0. Ele refere não conseguir se masturbar ou ter ereções noturnas. A ocorrência de disfunção erétil independente de parceiros. Sua disfunção erétil é mais provavelmente decorrente de:
Gabriel, 30 anos, procura a Unidade de Saúde da Família com queixa de hiperemia conjuntival, dor ocular, náuseas e cefaleia. Ao exame nota-se injeção ciliar, edema de córnea, pupila em discreta midríase paralítica. Qual o diagnóstico de Gabriel?
No tocante à classificação das operações quanto ao grau de contaminação, colecistectomia de urgência por videocirurgia devido colecistite aguda necrotizante; colectomia esquerda eletiva com preparo intestinal apropriado; herniorrafia epigástrica e cirurgia bariátrica mista por vídeo, são classificadas como:
Criança com quatro anos de idade com febre elevada de início súbito, adenomegalia dolorosa, hipertrofia de amígdalas, provavelmente está acometida de:
Compartilhar