Questões na prática

Clínica Médica

Hepatologia

As vantagens da colecistectomia laparoscópica amplamente comprovadas tornaram-na o procedimento de escolha para tratamento da colelitíase sintomática. Algumas colecistectomias laparoscópicas, entretanto, necessitam de conversão. Na maioria dos casos, essa não é uma falha, nem uma complicação da operação; trata-se, na verdade, de medida necessária a fim de se evitar ambas. Sobre conversão na colecistectomia laparoscópica, assinale a alternativa incorreta.

A
A média de conversão é de 5%, e diminui com maior experiência da técnica.
B
A idade superior a 60 anos é fator de risco para conversão.
C
A principal causa de conversão é a inflamação e aderência entre as estruturas no triângulo de Calot.
D
A principal causa de lesão é a má-identificação da via biliar. Nesses casos, geralmente a laparotomia é necessária para a correção.
E
Na colecistite aguda o momento da intervenção cirúrgica não tem relação com a taxa de conversão.
Sobre o Divertículo de Meckel, indique a alternativa CORRETA.
Homem, 67 anos, procura atendimento médico queixando-se de rouquidão há 45 dias. Tem antecedente de etilismo e tabagismo. APÓS EXAME FÍSICO, A PROPEDÊUTICA DIAGNÓSTICA É REALIZAR:
Homem de 70 anos comparece ao clínico geral com queixa de dores no flanco direito há três meses, de leve a moderada intensidade e contínua, astenia e perda ponderal de 12 kg no período. Nega alteração do hábito intestinal (uma evacuação a cada dois a três dias), com fezes de consistência ressecada e com esforço evacuatório. Traz hemograma com hemoglobina = 8,6 g/dl e microcitose/hipocromia. Antecedente de nefrolitíase e episódios de pielonefrite. Exame físico com massa palpável no flanco direito. Considerando o diagnóstico mais provável, qual o exame com maior especificidade?
No manejo de uma criança com diagnóstico de miocardite aguda, não estaria indicada a utilização de:
Compartilhar