Questões na prática

Pediatria

Neonatologia

Assinale a alternativa correta em relação à icterícia fisiológica do recém-nascido:

A
Nos prematuros a icterícia costuma ser menos prolongada.
B
Entre os fatores envolvidos temos o grande volume eritrocitário e a hemólise aumentada.
C
Aparece precocemente nas primeiras 24 horas.
D
O pico da bilirrubina geralmente atinge 20 mg/dl.
E
É mais frequente nos RN pós-termo.
Às três horas da manhã, você é chamado na sala de emergência para atender uma criança de quatro anos de idade com histórico de diarreia líquida. No exame físico, a criança encontra-se prostrada, pálida, FR 45 ipm, com ruídos respiratórios presentes e bilaterais, FC 150 bpm, enchimento capilar de 5 segundos. Você coloca a criança na máscara facial 10 I/min e solicita à enfermagem pegar um acesso venoso. Qual é a sua próxima conduta?
Você entra em uma quarto para obter a impressão inicial de um menino de 10 anos anteriormente estável e o encontra não responsivo a nenhum estímulo e apneico. Você grita para alguém trazer o carrinho da parada, tenta palpar o pulso e como não consegue inicia a massagem cardíaca e ao chegar a enfermeira com o desfibrilador, o paciente é monitorizado e realizada ventilação usando bolsa-máscara com reservatório. O monitor indica taquicardia de complexo largo. Assim que o desfibrilador chega, você aplica um choque não sincronizado de 2J/kg. A verificação do ritmo após 2 minutos de RCP revela fibrilação ventricular. Então, você aplica um segundo choque de 4J/kg e retoma a RCP imediatamente, começando pelas compressões. Um membro da equipe já havia estabelecido acesso intraósseo, então você dá uma dose de adrenalina, 0,01 mg/kg (0,1 mL/kg com diluição 1:10.000) e a RCP é reiniciada depois de segundo choque. Na verificação de ritmo seguinte, a fibrilação ventricular persiste. Você administra um choque de 4 J/kg e reinicia a RCP. Com base no Algoritmo de Parada Cardíaca Pediátrica, qual a próxima droga e dosagem a ser administradas quando a RCP é reiniciada.
Um menino de 10 anos está no oitavo dia de pós-operatório de apendicectomia e é levado por seu pai, um trabalhador rural, ao Pronto Atendimento (PA) do H.E.L.G.J.. O menino teve alta no terceiro pós-operatório, em boas condições, tendo a cirurgia e o pós-operatório até a alta hospitalar transcorrido de forma satisfatória. Ao deixar o hospital, foi orientado a tomar antibiótico por mais sete dias, mas não tomou. O pai conta que há três dias seu filho se queixa de dor na incisão cirúrgica e que há dois dias a dor piorou, ficando a cicatriz mais elevada e vermelha. A criança está febril (38°C) e a incisão está bastante abaluada, quente, muito dolorosa e hiperemiada. Trata-se de uma incisão de McBurney e ainda está com os pontos. Como médico do PA, você deve:
Um recém-nascido de parto normal, com 3.720 g de peso de nascimento, Apgar de 9, 10 e 10, no primeiro, quinto e décimo minutos, apresenta no exame físico inicial hemorragia subconjuntival e os pais estão preocupados. O médico solicita um exame de fundo de olho que revela pequena hemorragia de retina unilateral. Orientação para os pais:
Compartilhar