Questões na prática

Clínica Médica

Gastroenterologia

Assinale a alternativa que apresenta um fator de risco para o desenvolvimento do câncer colorretal na retocolite ulcerativa inespecífica.

A
Doença grave de curta duração.
B
Doença no cólon esquerdo.
C
Uso de drogas imunossupressoras.
D
Doença acometendo todo o cólon.
E
Uso prolongado de corticoide.
Paciente, 32 de idade, G3P1A2, com queixa de irregularidade menstrual desde a menarca, caracterizada por ciclos oligo ou amenorreicos, intercalados por episódios de sangramento uterino disfuncional. Referiu aumento progressivo de peso, intensificado há 10 anos, após o parto (aproximadamente 30 Kg), associado ao aumento de pelos em face e dorso. Ao exame físico: peso = 105 Kg; altura =1,65 m; IMC = 38,6 Kg/m²; cintura = 147 cm; índice de Ferriman = 10; exame ginecológico sem alteração. Qual a hipótese mais provável para o quadro anovulatório dessa paciente?
Um recém-nascido de termo, do sexo feminino, apresenta uma manobra de Ortolani positiva no exame de alta do berçário. Com 15 dias de vida, a manobra é novamente positiva, na consulta de puericultura, na unidade básica de saúde. Nesse momento, o médico deve:
Paciente do sexo feminino, 33 anos, professora desde os 18 anos, comparece ao ambulatório de otorrinolaringologia com queixa de disfonia progressiva há cerca de 10 meses. Refere que a disfonia se agrava no final do dia, após o turno de trabalho. Nega álcool e tabagismo. Frente a esse caso, qual a principal hipótese diagnóstica?
Paciente, 18 anos de idade, apresenta em avaliação médica de rotina TA: 160 x 110mmHg. Tem história familiar de hipertensão arterial. Ritmo urinário sem alterações, com urina de aspecto normal. Ao exame, apresenta-se sem outras alterações à exceção de esmagamento nos cruzamentos artério-venosos na retina e imagem em “chama de vela” na oftalmoscopia. Não há diferença pressórica entre os membros. Quanto ao tratamento desse paciente, a meta deve ser:
Compartilhar