Questões na prática

Clínica Médica

Infectologia

Assinale (V) para alternativas VERDADEIRAS e (F) para as FALSAS: ( ) Uma gestante HIV positivo, linfócitos TCD4 + de 180 cel/mm³, que faz todas as orientações propostas e chega ao final da gestação com Carga Viral para HIV indetectável, está liberada para amamentar seu bebê. ( ) Um paciente HIV positivo em seu primeiro esquema de tratamento com antiretrovirais, assintomático, pode ser recomendado a fazer suspensões temporárias dos antirretrovirais, não implicando na eficácia do tratamento a longo prazo. ( ) Um paciente HIV positivo assintomático com TCD4+ = 500 células/mm³ e carga viral = 250.000 cópias/ml enquadra-se nos critérios de início de terapia com antirretrovirais conforme consenso brasileiro atual. ( ) Um paciente HIV positivo assintomático, com TCD4+ = 300 células/mm³ e carga viral = 50.000 cópias/ml enquadra-se nos critérios de início de terapia com antirretrovirais conforme consenso brasileiro atual. ( ) Um paciente HIV positivo, com cândida esofágica grave, TCD4+ = 190 células/mm³ e carga viral = 5.300 cópias/ml, enquadra-se nos critérios de início de terapia com antirretrovirais conforme consenso brasileiro atual. A sequência CORRETA está na alternativa:

A
V, F, F, V, V.
B
F, F, F, V, V.
C
V, F, F, F, V.
D
V, V, V, V, V.
E
F, F, V, V, V.
Os pacientes com síndrome de Down apresentam em torno de 50% de associação da síndrome com cardiopatias congênitas. Dos casos que apresentam essa associação, qual é a cardiopata mais frequente?
Após uma cirurgia de emergência para tratamento de ruptura de aneurisma de aorta abdominal, no terceiro dia de pós-operatório o paciente queixa-se de dor de forte intensidade em flanco esquerdo e apresenta diarréia mucosanguinolenta.. O diagnóstico mais provável é:
Um paciente de 44 anos, com antecedentes de arritmia cardíaca, foi submetido a uma troca de válvula mitral durante a manhã e, na madrugada, apresenta intensa dor e incapacidade para realizar a dorsoflexão dos dedos do pé direito, além de cianose. O tratamento com analgésico e aquecimento do membro inferior foi ineficaz. O diagnóstico mais provável é:
Um professor de 44 anos de idade queixa-se de sensação de dor em queimação há cerca de 2 anos, na perna esquerda, com acentuação vespertina e cãibras noturnas. O exame físico do membro inferior esquerdo mostrou edema 3+ em 4+, hiperpigmentação em terço inferior da perna, microvarizes em região maleolar esquerda. Ele informa que há três anos sofreu acidente de moto que resultou em fratura da fíbula esquerda. Para esse paciente, o diagnóstico atual é:
Compartilhar