Questões na prática

Ginecologia e Obstetrícia

Obstetrícia

R.A.J.A.B. 28 anos, GIIIPIAI, com data da última menstruação em 20 de abril do corrente ano, possui antecedente de um abortamento espontâneo com 9 semanas e um natimorto na 37ª semana de gravidez. Realizou ultrassonografia transvaginal em 2 de junho demonstrando gestação tópica, com feto único com biometria compatível com 11 semanas e um dia. Foi encaminhada ao Hospital Universitário por apresentar teste de Coombs indireto 1/32. Nesta situação, a melhor conduta é:

A
Efetuar estudo dopplervelocimétrico da artéria cerebral média e caso o pico da velocidade sistólica for inferior a 1,5 múltiplos da mediana, interromper a gestação.
B
Efetuar estudo dopplervelocimétrico da artéria cerebral média e caso o pico da velocidade sistólica for superior a 1,5 múltiplos da média, interromper a gestação.
C
Realizar cordocentese para avaliação da anemia fetal.
D
Realizar amniocentese e espectrofotometria do líquido amniótico, conforme o gráfico de Liley, interromper a gestação.
E
Interromper a gestação.
São fatores de risco para parada cardiorrespiratória, EXCETO um. Aponte-o.
Leia as afirmações acerca dos aneurismas de aorta e responda: I- Os aneurisma abdominais são mais comuns que os torácicos; II- O tabagismo é o fator de risco mais importante associado ao desenvolvimento de aneurisma de aorta abdominal, seguido de idade, hipertensão e dislipidemia; III- A maioria dos aneurismas abdominais e torácicos são assintomáticos quando descobertos incidentalmente em um exame de rotina ou estudo de imagens.
Lactente de 5 meses apresentando dor abdominal tipo cólica, há 10h, com distensão abdominal, vômito e eliminação de muco sanguinolento. Qual o diagnóstico provável e o exame adequado para sua confirmação?
Qual exame é considerado padrão-ouro para diagnóstico da rinossinusite crônica?
Compartilhar