Questões na prática

Clínica Médica

Gastroenterologia

Hepatologia

Com relação ao transplante de fígado, assinale a alternativa INCORRETA.

A
Em pacientes com insuficiência hepática não relacionada com acetaminofen, a duração da icterícia por mais de 7 dias antes da encefalopatia é um indicador de mau prognóstico.
B
A presença de uma síndrome hepatopulmonar grave nos pacientes com insuficiência hepática crônica é uma contraindicação ao transplante.
C
Trombocitopenia é quase universal no pós-operatório dos receptores de transplante hepático e tende a ser pior no 3º e 4º dias após a cirurgia.
D
Trombose da veia porta é um evento mais frequente que a trombose da artéria hepática.
E
Embora as complicações biliares pós-operatórias sejam relativamente frequentes, a mortalidade relacionada a essa complicação é baixa.
Uma paciente é trazida pelo resgate ao pronto-socorro em parada cardiorrespiratória. São iniciadas compressões torácicas e ventilação com bolsa após intubação traqueal. A monitoração eletrocardiográfica mostrou ritmo de fibrilação ventricular. Realiza-se cardioversão elétrica com recuperação a ritmo sinusal, mas a paciente continua inconsciente. A medida terapêutica que pode melhorar o resultado neurológico de seu tratamento posterior é:
Com relação ao câncer gástrico assinale a afirmativa CORRETA:
Paciente com toxemia gravídica em uso de sulfato de magnésio iniciou quadro de depressão respiratória grave. Que conduta está indicada?
Um paciente de 70 anos de idade, com insuficiência hepática compensada, pesando 65 kg, foi operado de uma hérnia inguinal, sob anestesia local. O anestésico disponível é a lidocaína 2% com vasoconstritor. O paciente é monitorizado e recebe 5 mg de midrazolan para sedação. O cirurgião infiltra a região inguinal usando 20 ml do anestésico e, 5 minutos após, o paciente apresenta tremores musculares, náuseas, hipotensão, bradicardia e torna-se confuso. Qual deve ser a conduta do cirurgião?
Compartilhar