Questões na prática

Clínica Médica

Cardiologia

Reumatologia

Com relação à febre reumática pode-se afirmar que: (Referência: MOSS E ADAMS: Doenças do Coração na Criança e no Adolescente - 2000)

A
É causada pela infecção pelo Estreptococo que atinge diretamente as válvulas cardíacas, ocorrendo um processo infeccioso destas.
B
Deve ser tratada com corticosteroides sistêmicos quando há acometimento cardíaco, além da erradicação do estreptococo com penicilina benzatina .
C
A artralgia é considerada critério maior para o diagnóstico da febre reumática.
D
A Coréia de Huntington é manifestação de comprometimento cerebral.
E
A artrite é causada por uma osteocondrite e acomete pequenas articulações, assimétricas.
Dos tumores pancreáticos, qual o que apresenta menor potencial de malignização?
Uma paciente de 74 anos foi admitida no setor de urgência de um hospital com dores de forte intensidade em região de coluna lombar, após ter caído sentada, da própria altura. O RX da coluna vertebral mostra rarefação óssea e em região de lombar, L4-L5, apresenta achatamento dessas vértebras. Menopausada aos 38 anos de idade, possui um IMC "menor que" 18 Kg/m². Nega outras doenças. Nesse caso, além da fratura em vértebras lombares, podemos afirmar que:
Com relação à síndrome dispéptica do idoso, podemos afirmar: I - A gastropatia por AINE é muito frequente; II - A disfagia alta pode ser uma causa para dispepsia em pacientes idosos com doença de Alzheimer; III - A endoscopia alta é um exame de primeira linha na investigação da dispepsia em idosos; IV - Os idosos dispépticos devem ser tratados com inibidor de bomba de prótons, sendo desnecessário investigação específica nessa população; São CORRETAS apenas as afirmativas:
Um paciente de 75 anos foi internado devido a um quadro de AVC isquêmico, apresentando afasia, hemiplegia à esquerda. Está apático e com a mobilidade muito limitada, no leito. Tem história de ser hipertenso sem tratamento e tabagista de longa data. Familiares negam que o paciente tenha outras comorbidades. Durante sua evolução na enfermaria, observou-se, após 48 horas de internação, a presença de uma úlcera de decúbito em região sacral, com necrose de tecido subcutâneo que se estende em direção à fáscia subjacente sem atravessá-la. Podemos afirmar que se trata de:
Compartilhar